Oficial da Força Aérea é condenado por expor visão bíblica sobre a homossexualidade

Michael Madrid foi acusado por um colega de trabalho de ter feito comentários depreciativos sobre a homossexualidade.

fonte: Guiame, com informações do site Hello Christian

Atualizado: Quinta-feira, 30 Março de 2017 as 9:43

O coronel negou ter feito tais comentários e foi submetido a uma investigação completa. (Foto: Reprodução).
O coronel negou ter feito tais comentários e foi submetido a uma investigação completa. (Foto: Reprodução).

O coronel da Força Aérea dos Estados Unidos, Michael Madrid, tem 26 anos de serviço dedicado aos militares. Ele também é cristão e acredita no casamento bíblico entre um homem e uma mulher. Agora, seu advogado afirma que ele foi punido, e que a Força Aérea está tentando destruir sua carreira.

"O Coronel Madrid é a última vítima da política extrema que está destruindo nossas forças armadas", disse o Diretor de Assuntos Militares, Mike Berry. "Os militares nunca devem discriminar um membro do serviço por causa de suas crenças religiosas".

Em 2014, um aviador abertamente homossexual que trabalhava com Madri foi submetido a julgamento judicial e foi considerado culpado de má conduta grave. Durante o processo de corte marcial, no entanto, o aviador acusou Madrid de ter feito comentários depreciativos sobre a homossexualidade.

O coronel negou veementemente ter feito tais comentários e foi submetido a uma investigação completa da Força Aérea, onde explicou que ele é cristão e tem sua opinião sobre o casamento. A Força Aérea libertou Madrid das acusações e encerrou a investigação.

Injustiça

Mas os verdadeiros problemas de Madrid estavam longe de terminar. Um comandante determinou, sem qualquer prova, que o coronel mentiu durante a investigação e foi culpado de fazer comentários depreciativos sobre a homossexualidade. O novo comandante colocou uma “Carta de Admoestação” em seu registro permanente, manchando o impecável registro de serviço de Madri.

"Eu sinto que todo o poder da Força Aérea está caindo sobre mim por causa da minha fé", disse ele. "Agora, depois de mais de um quarto de século de serviço a esta nação, sinto que tenho que constantemente olhar por cima do meu ombro. É incrivelmente intimidador", confessou.

Agora, ele está comprometido em limpar seu nome. “O major McCoy não tem o direito de ignorar o estado de direito e arbitrariamente decidir, mais de dois anos depois do julgamento e sem qualquer nova evidência. ele não pode punir o coronel Madrid desse jeito”, ressaltou Mike Berry.

"No Instituto da Primeira Liberdade, vimos vários casos em que oficiais militares se recusaram a tolerar as crenças religiosas tradicionais dos membros do serviço. O Coronel Madrid não esconde o fato de que ele é um cristão devoto", continuou.

"Estamos preocupados com o fato de que o Major McCoy julgasse e punisse Madrid - um oficial da Força Aérea condecorado - porque ele tomou conhecimento das opiniões religiosas tradicionais do Coronel Madrid, e se isso não prejudica os militares, é ilegal", ressaltou.

"A intolerância religiosa e a discriminação contra qualquer um das forças armadas é imperdoável. Pedimos à Força Aérea que tome medidas imediatas para responsabilizar o major McCoy e prestar justiça devido processo ao coronel Madrid", finalizou.

veja também