Pastor americano comenta tiroteio em Dallas: "A vingança pertence a Deus"

O pastor que tem sua igreja em Dallas explicou que a tragédia não só está acontecendo nas ruas, mas enfatizou que a injustiça também existe nos tribunais, prisões, e em grandes empresas.

fonte: Guiame, com informações do Christian Post

Atualizado: Sábado, 9 Julho de 2016 as 3:27

O líder falou sobre os preconceitos em relação às pessoas pobres e carentes. Foto: Reprodução).
O líder falou sobre os preconceitos em relação às pessoas pobres e carentes. Foto: Reprodução).

Em meio a um cenário de caos que envolve a morte de Philando Castela, Alton Sterling, e cinco policiais que foram mortos a tiros em Dallas, Texas, na última quinta-feira (7), o pastor T. D. Jakes aconselhou sobre o que as pessoas devem reagir sobre isso.

"Por um longo tempo eu estive chorando sobre o sistema de justiça criminal", disse Jakes durante uma transmissão ao vivo de 30 minutos no Facebook intitulado "tragédia nas nossas ruas".

O pastor que tem sua igreja em Dallas explicou que a tragédia não só está acontecendo nas ruas, mas enfatizou que a injustiça também existe nos tribunais, prisões, e em grandes empresas. Ele também falou sobre os preconceitos em relação às pessoas pobres, pessoas carentes, e as pessoas que não têm voz.

"Ouça-me quando eu digo que estou muito, muito frustrado e eu fico em solidariedade, mas acho que a forma como este evento está sendo abordado está errada", disse Jakes, sobre a notícia da morte dos cinco policiais.

"Eu sinto em meu coração que nós temos de estar juntos como um país e isso não pode ser uma questão ‘de preto’, ou questão LGBT, ou uma questão republicana ou democrata, ou até um problema de cristãos. Isto tem de ser um problema do país", ele continuou.

"Nós temos que proteger nosso povo mais ainda, independentemente da cor da sua pele, pois se permitirmos que a injustiça levante a cabeça, isso deve ser apenas uma questão de tempo até que ela entre em outras comunidades e áreas. É por isso que nós temos que interromper isso. Nós temos que estar juntos e este é o momento para a igreja se unir”, pontuou.

O autor e cineasta disse que se esforça para conciliar igrejas, sejam negros, brancos ou mulatos, devem se unir e ficar juntos. "É muito importante que as igrejas se mobilizem, não apenas as igrejas de brancos, ou de negros ou de mulatos. Nos precisamos ser a igreja de Jesus, pelo qual Ele morreu e derramou Seu sangue para ficarmos juntos”, ressaltou.

Jakes lembrou que durante o movimento dos direitos civis, pessoas de todas as raças e religiões se reuniram para uma finalidade comum. Ele disse que não é o problema de uma raça em particular e as pessoas não deveriam reduzir esse problema a uma guerra contra os brancos ou contra a polícia, porque é uma guerra contra a injustiça.

"O que estamos vendo nas ruas de Dallas não é o tipo de ação que queremos e não é o tipo de ação que os manifestantes estavam protestando. É o que acontece quando as pessoas estão com raiva e perdem a sua cabeça e não canalizam essa raiva da forma adequada", explicou.

O líder disse que pastoreia muitos dos policiais de Dallas e teve de participar de muitos funerais de alguns dos jovens negros que foram mortos. "Eu estou desafiando nosso país a falar com os nossos parlamentares de cargos mais elevados para deixar claro que não vamos permitir que este tipo de injustiça se perpetue mais e mais. Aqueles de nós que são racionais e aqueles de nós que são razoáveis devem se unir e permanecer juntos", ele aconselhou.

veja também