Pastor descobre-se um artesão ao produzir esculturas de material reciclado

Segundo Amilton a sua primeira escultura foi feita quando ele decidiu abordar em um de seus sermões, a transformação que Jesus promove na vida do homem.

fonte: Guiame, com informações do G1

Atualizado: Segunda-feira, 26 Janeiro de 2015 as 8:49

Ao falar sobre a temática de suas peças, Amilton revelou que gosta de variar e, ao mesmo tempo, gerar uma identificação do público com a sua arte
Ao falar sobre a temática de suas peças, Amilton revelou que gosta de variar e, ao mesmo tempo, gerar uma identificação do público com a sua arte

Um pastor do sertão de Pernambuco descobriu que tinha um outro dom, além do relacionado à vocação sacerdotal: o das artes plásticas. Aos 39 anos, Amilton José Leite conta que começou a fazer esculturaas de materiais reciclados em 2014 - para ilustrar uma de suas pregações - e, desde então, não parou mais.

O seu novo talento está conquistando cada vez mais espaço, chegando ter peças expostas em eventos de artesanato. Robôs, motocicletas, tanques de guerra, carrancas e miniaturas fazem parte de seu acervo.

Segundo Amilton a sua primeira escultura foi feita quando ele decidiu abordar em um de seus sermões, a transformação que Jesus promove na vida do homem.

“Em janeiro do ano passado eu estava preparando um sermão sobre Jesus ser o reciclador da humanidade, pois a sociedade trata o homem como lixo e Jesus atua e transforma em arte. Para ilustrar essa transformação tive a ideia de preparar algo com material reciclado”, contou.

Na ocasião, o pastor produziu três peças e ganhou elogios dos fiéis.

“O pessoal gostou do meu trabalho e me incentivou a continuar produzindo as esculturas. Os amigos começaram a me ligar para doar gabinetes de computador, mouse e outros componentes. Daí não parei mais”, lembrou.

Falando sobre as temáticas de suas peças, Amilton contou que gosta de variar e, ao mesmo tempo, criar uma identificação do público com sua arte.

“Gosto de fazer esculturas que as pessoas reconheçam como motocicletas, tanques e navios e até naves de séries e filmes como Jornada nas Estrelas (Star Trek) e Guerra nas Estrelas (Star Wars)”, contou.

O artista já produziu cerca de 60 peças e chegou a ministrar uma oficina de artes para crianças e adolescentes.

“Gosto muito do que faço, mas dá muito trabalho. Principalmente os objetos menores como um trenzinho que fiz, em cima de uma tampa de garrafa, a partir de um circuito eletrônico”, disse.

“Ensinamos os jovens a fazer motos com material reciclado. É uma forma de incentivá-los a conhecer a arte, ensinar que dá para fazer reaproveitar muita coisa do que é jogado fora. Além disso pode ser uma fonte de renda caso eles queiram seguir produzindo as esculturas”.

veja também