Pastor é confundido com traficante por policial, mas diz não guardar mágoas: "Ele pediu perdão"

A abordagem aconteceu em uma praça da cidade de Catalão (GO), conhecida por ser um ponto de tráfico e uso de drogas. O pastor relatou que foi até o local a pedido de uma mãe que queria afastar o filho das drogas.

fonte: Guiame, com informações do G1

Atualizado: Sexta-feira, 30 Outubro de 2015 as 10:01

Cena do vídeo, postado pelo policial nas redes sociais.
Cena do vídeo, postado pelo policial nas redes sociais.

Um pastor da cidade de Catalão foi acusado de tráfico de drogas, durante uma abordagem policial, no município de Catalão (GO), mas após sua inocência ter sido comprovada, o líder cristão disse que não guarda mágoas do PM. Parte da ação aparece em um vídeo, publicado pelo próprio agente nas mídias sociais.

A abordagem foi feita em uma praça da cidade, conhecida por ser usada como ponto de tráfico e uso de drogas por diversos jovens. No vídeo, o policial fez a acusação contra o pastor André Luis, que também é ex-jogador de futebol de um time local.

"Ex-goleiro do Crac [Clube Recreativo Atlético Catalano] aliciando os menores, distribuindo entorpecentes. Estava aí arrebatando seu rebanho", diz o policial no vídeo.

Além de pastor e ex-jogador, André também é comerciante e tem uma loja de roupas na cidade.

Sobre o ocorrido, o pastor relatou que na última quinta-feira (22), uma mãe havia lhe pedido ajuda para afastar o filho das drogas. Atendendo ao apelo da mãe, ele foi até o local, em busca do rapaz, mas foi abordado, enquanto conversava com os jovens, na praça.

"Eu propus fazer uma oração, pedi que ficassem de pé, que dessem as mãos, que voltassem o coração para Deus. E um deles chamou todos eles para ficar de pé e receber a oração. Quando íamos dar as mãos, aconteceu o que aconteceu", lembrou André.

Como ninguém foi flagrado com drogas ou armas, todos acabaram sendo liberados.

Sobre o vídeo e as acusações, o pastor afirma que não ficou ressentido, pois o policial o pediu desculpas pelo equívoco: "Ele teve a hombridade de pedir perdão, de ver que agiu errado".

A Polícia Militar também pediu desculpas e informou que várias pessoas consideradas perigosas circulam pela praça e, por isso, a abordagem foi feita.

Os policiais afirmaram ainda que o trabalho do pastor é reconhecido na comunidade, além de ser amigo da PM.

veja também