Pastor ensina a orar por cura nas ruas: “É uma forma de levar pessoas para Cristo”

O pastor americano Steve Wilson ensina um modelo com 5 passos para orar por pessoas enfermas de maneira prática.

fonte: Guiame, Luana Novaes

Atualizado: Segunda-feira, 27 Março de 2017 as 12:38

O pastor Steve Wilson ensina 5 passos para orar por enfermos de maneira prática. (Foto: Guiame/Marcos Paulo Correa)
O pastor Steve Wilson ensina 5 passos para orar por enfermos de maneira prática. (Foto: Guiame/Marcos Paulo Correa)

A atuação dos cristãos fora dos prédios das igrejas é um dos principais estímulos para a expansão do Evangelho. Segundo o pastor americano Steve Wilson, do ministério Global Awakening, a manifestação dos dons de profecia e cura podem intensificar o impacto do evangelismo nas ruas.

Diante de dezenas de pastores e líderes que estavam reunidos na igreja Catedral da Adoração, na cidade de Sorocaba, em São Paulo, Wilson ensinou de maneira prática a orar pelos enfermos.

“Quanto mais efetivamente nós levarmos isso para as ruas, mais poderemos ver pessoas indo para Cristo”, disse ele na tarde da última quarta-feira (22). “Esses passos não são uma fórmula, são apenas um modelo que você pode usar para trabalhar ouvindo as pessoas e o Espírito Santo”.

1º Passo: Faça uma entrevista

No momento de orar pela cura de uma pessoa, Wilson orienta a interagir antes de qualquer coisa. “Pergunte seu nome e saiba qual sua necessidade. Quando você estabelece um relacionamento com um indivíduo, isso te dá oportunidade de ouvir o que o Espírito Santo diz a respeito daquela pessoa. Se você ficar atento, você pode descobrir qual é a raiz do problema dela”, indica o pastor.

2º Passo: Determine como será sua oração

O pastor observa que as Escrituras Sagradas apresentam duas formas de orar: por petições (ato de pedir) ou por comandos (ato de ordenar). “Todas as vezes que vemos uma oração por cura, podemos notar que todas elas são através de comandos”, afirma Wilson.

“Quando eu peço algo a Deus, eu me isolo da situação — ou seja, eu não assumo responsabilidade alguma. Mas com uma oração de comando é diferente. Eu me posiciono como filho do Rei e permito que o céu se mova através de mim. Deus quer nos ensinar a viver em nossa identidade de filhos de Deus”, ele explica.

“Dar comandos requer muito mais riscos, e arriscar é ter fé. Quando nos disponibilizamos a dar passos de riscos, as coisas acontecem”, afirma Wilson.


O pastor Steve Wilson ensina 5 passos para orar por enfermos de maneira prática. (Foto: Guiame/Marcos Paulo Correa)

3º Passo: Ministre a cura

Wilson deixa claro que a responsabilidade de cada cristão não é curar uma pessoa, mas simplesmente amá-la. A Bíblia confirma isso através da passagem de Hebreus 2:4: “Deus também deu testemunho de sua mensagem por meio de sinais, maravilhas, diversos milagres e dons do Espírito Santo distribuídos de acordo com a sua vontade”.

“Isso tira a pressão de mim”, disse ele, após ler o trecho bíblico. “O meu trabalho é amar as pessoas e Deus vem com poder. Sendo a pessoa curada ou não, se ela estiver se sentindo amada, você cumpriu a sua parte”.

O pastor observa que no momento da oração, é preciso que a pessoa não ore junto com quem ministra a cura. “Se uma pessoa estiver orando, ela acaba não recebendo. Então encorajamos as pessoas a simplesmente receberem e, rapidamente, poderemos ver a atuação do Espírito. Ele é quem faz o trabalho”, indica.

Wilson também ensina a realizar orações curtas, principalmente quando elas foram realizadas nas ruas. “Se você estiver num supermercado, por exemplo, e orar mais do que 30 segundos, a pessoa pode querer escapar de você. Mas se você fizer orações rápidas e poderosas, Deus vai se mover”.

“Às vezes, oramos tempo demais porque temos medo de nada acontecer. Ficamos orando e não queremos parar, porque a gente não quer descobrir se a pessoa não foi curada. Portanto, se arrisque!”, Wilson afirma.

Outra dica do pastor é manter os olhos abertos enquanto você está orando. “Nos sentimos muito carnais quando oramos de olhos abertos, mas, sem isso, você não consegue ver o que Deus está fazendo. Muito frequentemente você poderá ver o Espírito Santo pousando sobre aquela pessoa”.

Wilson também indica a orar com sua voz normal. “Se você alterar a voz, a pessoa pode ficar assustada. Nós temos um relacionamento com o Espírito Santo, então você pode ser gentil, você pode ser amável e pode liberar poder com a sua voz normal”.


O pastor Steve Wilson ensina 5 passos para orar por enfermos de maneira prática. (Foto: Guiame/Marcos Paulo Correa)

4º Passo: Descubra o que está acontecendo

Depois de orar por uma pessoa, pare e faça uma nova entrevista com ela. “Quando fazemos uma nova entrevista, pedimos para a pessoa checar o corpo dela. Muitas vezes, no momento em que ela faz um movimento que não conseguia antes, é que a cura se manifesta”, Wilson orienta. “Quando há um avanço, nós celebramos, porque se Deus fez um pouco, é sinal de que Ele quer fazer mais”.

Caso tenha acontecido algum avanço, mas não a cura completa, o pastor orienta a retomar a oração com os comandos de cura. “Por alguma razão, uma grande porcentagem das curas acontecem depois de orar várias vezes pela mesma pessoa. Eu não tenho uma teologia específica para isso, mas acho que Deus quer nos ensinar sobre perseverança”, disse ele.

“Não tenha medo de ser persistente. Mesmo se você estiver na rua, não tenha medo de orar mais de uma vez. Você nunca sabe o que Deus poderá fazer”, Wilson afirma.

5º Passo: O que fazer depois da oração

Caso a pessoa tenha sido curada, é preciso encorajá-la a compartilhar seu testemunho. “Se queremos manter uma cultura de avivamento em nossa igreja, uma das formas é manter uma cultura de testemunhos”, indica Wilson.

Mas se a pessoa não foi curada, o que dizer para ela? “Eu gostaria que todos fossem curados e de não responder questões difíceis. Tudo que sei é que não podemos deixar o inimigo roubar o que Deus está fazendo. Se alguém não foi curado, nós encorajamos a pessoa e dizemos que Deus quer curá-la. Nunca culpamos a pessoa por sua falta de fé”, explica o pastor.

Se a cura não foi manifesta, não fique frustrado — dê o próximo passo e ore por outra pessoa. “Não se sinta culpado. O seu trabalho é simplesmente amar as pessoas”, disse ele.

veja também