Pastor Franklin Graham critica lei de 'banheiros transgêneros': "Vergonhoso"

"Esta lei permitiria que pedófilos, pervertidos e estupradores tenham acesso aos banheiros femininos", alertou o pastor sobre o projeto de lei que visa permitir o uso de banheiros públicos por homens e mulheres, 'conforme o gênero com os quais se identificam'.

fonte: Guiame, com informações do Christian Post

Atualizado: Quinta-feira, 25 Fevereiro de 2016 as 9:30

O Rev. Franklin Graham criticou a prefeita Jennifer Roberts e os vereadores da cidade de Charlotte (Carolina do Norte / EUA), após estes votarem para passar uma lei controversa que visa permitir a entrada de homens e mulheres em banheiros públicos (masculinos ou femininos), conforme o gênero com o qual se identificam.

"Que vergonha pela prefeita de Charlotte, Jennifer Roberts e pelos membros do conselho da cidade", escreveu Graham na última terça-feira (23), após a votação que aprovou a medida. O texto do projeto de lei diz às empresas que não será permitido que, os clientes gays, lésbicas ou transexuais sejam 'discriminados' e a lei aplica-se a lugares usados pelo público, tais como bares, restaurantes e lojas.

"O governador da Carolina do Norte, Pat McCrory foi claro, ao apontar que esta é uma má política e disse que se a cidade passar a ação legislativa imediata, esta seria provavelmente tomada pelo Estado. Espero que eles tomem tomar medidas rápidas para derrubar essa lei perigosa ou tragam-na a um referendo para que os eleitores decidam", acrescentou o pastor Franklin, presidente da Bolsa do Samaritano e da Associação Evangelística Billy Graham.

O gov. McCrory, disse no último domingo (21), que a o projeto de abertura de banheiros públicos para o uso, conforme o gênero com o qual homens e mulheres se identificam, provavelmente causaria uma ação "imediata" dos legisladores, segundo o 'Charlotte Observer'.

"Tenho certeza de que seria esmagadoramente derrotada por democratas e republicanos igualmente", escreveu Graham, comentando sobre uma possível votação da lei na Câmara Estadual.

"É realmente difícil de acreditar que uma lei tão absurda sequer seja seriamente considerada - e ainda mais difícil de acreditar que pelo menos 8 de 11 membros do conselho disseram que votariam a favor dela", Graham escreveu em outro post Facebook antes da votação na câmara municipal.

"As pessoas simplesmente não estão pensando com clareza? Esta lei permitiria que pedófilos, pervertidos e estupradores tenham acesso aos banheiros femininos. Isto é sujo. E pensar que minhas netas poderiam entrar em um banheiro e um homem estaria lá... Ao que estamos expondo nossos filhos e netos? Não haveria mais um banheiro público seguro em Charlotte!".

Graham acrescentou que a prefeita de Charlotte e os membros do Conselho Municipal talvez tenham "sucumbido às pressões de ativistas depravados do movimento GLBT e estão dispostos a colocar as mulheres e meninas em situação de risco como esta".

Ele disse que é importante que os cristãos se envolvam no processo político e sejam mais criteriosos na escolha de seus representantes - considerando que nos Estados Unidos, o voto não é obrigatório.

"Que diferença poderia fazer se tivéssemos mais vereadores e prefeitos que estejam dispostos a levantar-se pelos princípios bíblicos de moralidade para as nossas cidades e comunidades. Menos de 10% dos eleitores compareceram às últimas eleição para prefeito, em Charlotte. Isso é simplesmente uma vergonha e olha o que está acontecendo como resultado", disse o pastor.

 

veja também