Pastor perseguido é premiado por proteger sua comunidade, na Guatemala

Além de pastor, Rodrigo Tot é um agricultor que luta pelos direitos de seu povo. Ele foi reconhecido por seu trabalho em proteger as terras de Agua Caliente contra a mineração corporativa.

fonte: Guiame, com informações do Christian Today

Atualizado: Segunda-feira, 24 Abril de 2017 as 10:53

A vitória não veio sem sacrifícios. Em 2012, um dos filhos de Tot foi baleado e morto. (Foto: Premiação Goldman).
A vitória não veio sem sacrifícios. Em 2012, um dos filhos de Tot foi baleado e morto. (Foto: Premiação Goldman).

Um pastor evangélico e agricultor da Guatemala recebeu o prestigioso prêmio Goldman Environmental Prize nesta segunda-feira (24) por defender a terra de sua comunidade. Rodrigo Tot tem 60 anos e tem lutado para que seu povo possa continuar garantindo o sustento dia após dia.

O ativista cristão serve como líder de sua comunidade indígena Q'eqchi em Agua Caliente, na Guatemala. A Goldman é uma fundação oriunda de San Francisco e premia o ativismo popular pelo meio ambiente. A organização elogiou Rodrigo pela sua "intrépida liderança de seu povo e pela defesa de sua terra ancestral", segundo a agência de notícias AP.

Rodrigo não só tem lutado para defender seu povo, como também enfrenta dificuldades e perseguição para pregar o Evangelho. Ele defendeu os direitos de sua comunidade sobre terras férteis, contra interesses hostis de mineração corporativa que também queriam a terra.

Um longo processo

Em 1974, uma nova lei exigiu que os proprietários de terras pagassem aproximadamente 4.500 dólares (o equivalente a 14.046 reais) para receber títulos de propriedade oficial de suas terras. Foi feito um acordo deixando claro que os pagamentos poderiam ser feitos ao longo do tempo, em troca do título.

Mas, em 1988, o registro da propriedade da terra da comunidade desapareceu. Em 2002 eles fizeram seu último pagamento, mas o governo se recusou a conceder o título de propriedade.

Em 2004, o governo concedeu uma licença de mineração para uma região, incluindo Agua Caliente. O pastor Rodrigo tem combatido consistentemente os interesses da mineração, dizendo que o sustento da comunidade local está em risco.

"É por isso que defendemos, porque há muitos recursos naturais", disse Tot. "Existem 10 fontes que abastecem muitas comunidades. Nós estamos preservando a montanha porque se ela morrer, não haverá mais água”. A comunidade Q'eqchi, descendentes dos antigos Maias, depende da pesca e da agricultura para sobreviver.

O pastor Tot tem adiado indefinidamente a mineração na região: em 2011, o Tribunal Constitucional da Guatemala reconheceu os direitos de propriedade dos Q'eqchi e ordenou ao governo que conceda títulos de terras ao povo de Agua Caliente.

Lutas e Perdas

A vitória não veio sem sacrifícios. Em 2012, um dos filhos de Tot foi baleado e morto no que Goldman chamou de "um assassinato que foi passado como um roubo". Outro dos seus filhos ficou gravemente ferido no ataque. No ano passado, dois beneficiários latino-americanos anteriores do prêmio Goldman foram assassinados. Rodrigo disse: "Eu nunca vou esquecer a perda do meu filho, mas eu continuo a lutar."

O pastor disse que estava grato pelo prêmio. "Eu acho que isso poderia ser um estímulo para o trabalho que fazemos", disse ele, chamando-o de reconhecimento para "a luta, porque estamos lutando arduamente por nossas terras e nossos recursos naturais".

O governo ainda não cumpriu a ordem judicial e, portanto, o trabalho de mineração continua. O pastor Rodrigo continua a defender sua comunidade e sua liberdade para pregar o Evangelho. Ele disse: "Nós não estamos mais na década de 1980, quando eles poderiam fazer um líder desaparecer e tudo era mantido em silêncio. Hoje não. Quando eles fazem um líder desaparecer, mais 10 se levantam”, finalizou.

veja também