Pastor testemunha restauração após ser estuprado aos 6 anos: "Deus pode curar"

McDowell que é autor de vários best-sellers ressaltou seu emocionante testemunho dizendo que dos 6 aos seus 13 anos, ele era estuprado semanalmente por um homem que sua mãe tinha contratado como “caseiro".

fonte: Guiame, com informações do Christian Post

Atualizado: Segunda-feira, 18 Julho de 2016 as 10:48

Tais experiências fez com que ele tivesse uma aversão aos homens. (Foto: The Christian Post).
Tais experiências fez com que ele tivesse uma aversão aos homens. (Foto: The Christian Post).

O evangelista cristão Josh McDowell testemunhou sobre como sobreviveu a anos de abuso sexual quando criança. Ele também contou que quis morrer aos 11 anos por causa dessa provação. "Enquanto eu compartilho isso com vocês, é preciso perceber que você pode conhecer pessoas todos os dias, assim como eu", disse o líder que se baseou em estatísticas nacionais. Sua história completa é contada em um "docudrama"lançado em 2011 chamado "Undaunted: A vida precoce de de Josh McDowell". O filme foi lançado no aniversário de 50 anos de seu ministério.

McDowell que é autor de vários best-sellers ressaltou seu emocionante testemunho dizendo que dos 6 aos seus 13 anos, ele era estuprado semanalmente por um homem que sua mãe tinha contratado como “caseiro". Toda vez que sua mãe saia da cidade no fim de semana, ela ordenava que ele obedecesse ao homem e ameaçava com punições severas se ele não cumprisse.

Finalmente aos nove anos, McDowell reuniu forças para contar a sua mãe sobre o abuso sexual, mas ela se recusou a acreditar nele e ao invés de protege-lo, ela o levou para o quintal e começou a bater nele por 30 minutos. Até que ele gritou "eu estou mentindo" para fazê-la parar.

Foi quando ele tinha 13 anos que as coisas chegaram a um ponto em que o homem estava prestes a atacá-lo novamente, mas McDowell agarrou a garganta dele, empurrou-o contra a parede, e disse: "Se você me tocar de novo, vou matar você". "E eu gostaria de ter feito isso", contou McDowell.

Tais experiências fez com que ele tivesse uma aversão aos homens. Quando um pequeno grupo de cristãos em sua faculdade em Michigan tentou falar com ele sobre Deus como um Pai Celestial e amoroso, o líder na época não conseguia reconhecer isso, por seu pai terreno era alcoólatra e vivia de forma abusiva.

Mais tarde, quando ele finalmente aceitou a Jesus Cristo, McDowell sabia que tinha de se abrir com alguém sobre seu passado que tomou conta de sua vida, então ele revelou seu abuso sexual para o homem que o levou para o Senhor. Ao contrário de todos os outros, o homem realmente acreditava nele. O que McDowell repetidamente gritava era que ele precisava desesperadamente do evangelho e alguém simplesmente acreditar nele.

Perdão quase impossível

Seu mentor espiritual, apesar de saber como foi insuportavelmente dolorosa a experiência do abuso sexual, pediu a McDowell que perdoasse o estuprador. Ele acabou indo na casa do homem e o perdoou por meio do poder do amor de Jesus.

"Uma das coisas mais inteligentes que eu percebi foi que eu precisava mais do que Jesus", disse McDowell, incitando as pessoas a continuar a ouvir e não julgar. "Eu precisava de um grupo de homens ao meu redor que estaria lá às 2 da madrugada quando eu queria dar um fim a tudo isso", ressaltou.

“Não há nada tão grande em sua vida que Deus não possa refazer", McDowell continuou. “Nem algo tão pequeno que Ele não esteja interessado".

veja também