Pastores do Brasil comentam a eleição de Trump: "Deus remove e estabelece reis"

Líderes cristãos de diversas denominações, como Hernandes Dias Lopes, Roberto de Lucena e Edson Rebustini comentaram a notícia que está sendo amplamente divulgada nesta quarta-feira (9).

fonte: Guiame, por João Neto

Atualizado: Quarta-feira, 9 Novembro de 2016 as 1:04

Donald Trump foi eleito presidente pelo Partido Republicano nos Estados Unidos. (Foto: CNN)
Donald Trump foi eleito presidente pelo Partido Republicano nos Estados Unidos. (Foto: CNN)

Nesta quarta-feira (9), o mundo acordou com a notícia (surpreendente para alguns e já esperada por outros) da eleição de Donald Trump como o novo presidente dos Estados Unidos. Além dos norte-americanos e europeus, líderes cristãos de diversos outros países se manifestaram sobre a notícia, incluindo pastores brasileiros.

As pesquisas têm apontado que os evangélicos e também judeus que vivem nos EUA tiveram grande participação na vitória do empresário republicano sobre a democrata Hillary Clinton.

Líderes de diversas denominações, como Roberto de Lucena (O Brasil para Cristo), Carlos Bezerra Jr. (Comunidade da Graça), Edson Rebustini (Igreja Bíblica da Paz), Hernandes Dias Lopes (Igreja Presbiteriana do Brasil) e Geremias Couto (Assembleia de Deus, Teresópolis - RJ) expressaram suas opiniões a respeito da vitória de Trump.

Em uma postagem de sua página no Facebook, Bezerra Jr. se disse "perplexo" diante da eleição do republicano

"Com uma retórica protecionista e alimentando paranoias contra imigrantes e ameaças de terrorismo, a vitória de Trump pode significar um grande baque para o resto do mundo. Ele sempre foi uma incógnita em suas posições sobre política externa e sobre como pretende conduzir a economia dos Estados Unidos", escreveu.

"Se há oito anos, os Estados Unidos elegiam o primeiro negro para a presidência da República, em uma campanha marcada pelo discurso conciliatório, desta vez, o país, rachado, escolheu um homem que abandonou completamente da civilidade política em sua campanha e optou por um discurso racista, misógino, xenófobo e intolerante", acrescentou.

Já o pastor e deputado federal Roberto de Lucena (PV - SP) destacou que a conduta de Trump é "preocupante" e espera que seus "rompantes" sejam freados pelas instituições norte-americanas.

"As posturas e declarações de Trump ao longo de sua vida e durante a corrida eleitoral são preocupantes. Espero que as sólidas instituições nacionais sejam um freio de arrumação nesses rompantes. A eleição do presidente americano reflete diretamente no dia a dia de todos os cidadãos do mundo. Estou certo, no entanto de que ninguém sabe melhor do que os próprios americanos o que é bom para os Estados Unidos. Desejo bênçãos à América!", disse o pastor da Igreja O Brasil para Cristo.

Carlos Bezerra Jr. é deputado estadual pelo PSDB - SP e pastor da Comunidade da Graça, em São Paulo. (Foto: Divulgação)


Deus no controle
Já outros pastores como Hernandes Dias Lopes e Edson Rebustini destacaram que as autoridades chegam a seus postos com a permissão de Deus e que o controle de tudo está nas mãos divinas.

Segundo o pastor presbiteriano e escritor, a vitória de Trump pode ter contrariado as pesquisas e decepcionado muita gente (não apenas nos Estados Unidos), mas é preciso sempre ter em mente a soberania de Deus.

"Ontem, o republicano Donald Trump, contrariando todos as pesquisas, foi eleito 45o presidente dos Estados Unidos da América. Há apreensões e temores em várias partes do mundo sobre algumas de suas posições, especialmente em relação aos imigrantes e a economia global", destacou.

"Em tempos de tanta tensão internacional, precisamos entender que Deus é o soberano que está assentado no trono do universo. Ele tem as rédeas da história em suas poderosas mãos e nenhum dos seus planos pode ser frustrado. Nossos olhos precisam estar fitos nele, pois ele é o nosso refúgio e dele vem o nosso socorro", finalizou.

Rebustini fez coro com o pensamento do Rev. Hernandes. Inicialmente, o pastor da Igreja Bíblica da Paz citou como exemplo, a história do rei Ciro na Bíblia, em Isaías 45, que mesmo "não conhecendo a Deus", foi usado de alguma forma para libertar o povo hebreu do cativeiro da Babilônia e depois destacou que "Deus remove e estabelece reis".

"A princípio a figura dele [Trump] assusta um pouco, mas acredito que nada foge do controle de Deus. Deus remove reis e estabelece reis. Eu me simpatizo com a Hillary, mas infelizmente ela é extremamente liberal e a América está precisando voltar aos princípios da Bíblia", disse.

"Ele [Trump] vai fazê-lo? Não sei, mas ele nomeará inclusive um juiz conservador para a Suprema Corte. Quem sabe aquilo que pode nos assustar venha a nos surpreender? Só Deus sabe. Espero que sim. Deus abençoe a América", finalizou.

Rev. Hernandes Dias Lopes é pastor presbiteriano, diretor da Editora Luz para o Caminho e autor de mais de 100 livros. (Foto: Guiame)


"Um novo Reagan"
Geremias Couto comentou a eleição do novo presidente, destacando a disparidade entre o resultado das eleições e as expectativas da mídia liberal.

"Como é 'dia' de falar de Trump, não fugirei ao tema. Sua vitória revela que a mídia liberal globalizante com sua esquizofrenia está profundamente desconectada da realidade. Hoje ela precisa rever os seus conceitos, pois com o advento das redes virtuais não tem mais o monopólio da informação e nem o poder de manipulá-la", disse.

"O 'mundo real', por incrível que pareça, chega ao povo mais depressa por aqui. Os tempos são outros. Quanto a Trump, ele será, a meu ver, um novo Reagan", encerrou.

veja também