Pastores do Texas (EUA) poderão se recusar a celebrar casamentos entre pessoas do mesmo sexo

Greg Abbot destacou a promulgação do 'Ato de Proteção ao Pastor', que assegura ao líder religioso, o direito de se recusar a celebrar casamentos entre pessoas do mesmo sexo.

fonte: Guiame, com informações do NY Daily News

Atualizado: Terça-feira, 30 Junho de 2015 as 11:43

Greg Abbot é governador do Texas, cristão e se declarou um defensor da liberdade religiosa
Greg Abbot é governador do Texas, cristão e se declarou um defensor da liberdade religiosa

A aprovação do casamento gay pela Suprema Corte dos Estados Unidos em todo o seu território na última sexta-feira (26) gerou grande repercussão e levantou novamente o debate sobre questões como a liberdade religiosa. Exemplo disto, foi que o Governador do Texas (EUA), Greg Abbot já estava aparentemente preparado para a possibilidade desta aprovação e elaborou um tipo de 'estatuto de proteção ao pastor' em seu Estado, o qual assegura o direito de (entr outros) optar por não celebrar casamentos entre pessoas do mesmo sexo.

Abbot publicou um comunicado oficial no site do governo do Texas, no qual confirma que o estatuto, aliado à própria Constituição dos Estados Unidos garante que o pastores possam se expressar com relação ao casamento gay, optando inclusive por não realizar a cerimônia em sua igreja ou participar da celebração em outro lugar.

Greg destacou que a decisão da Suprema Corte representou o 'abandono de seu papel de imparcialidade'.

"A Suprema Corte abandonou o seu papel como um árbitro judicial imparcial e tornou-se um não eleito legislador de nove membros. Apenas cinco juristas sobre o Supremo Tribunal impuseram a todo o país seus pontos de vista pessoais, sobre uma questão que a Constituição e decisões anteriores do Tribunal (reservados) já estavam regimentadas", destacou.

"Apesar da decisão da Suprema Corte, ainda consta como direito fundamental dos texanos, a liberdade religiosam, que deve continuar sendo protegida. Nenhum texano deve ser intimado por decisão da Suprema Corte a agir contrariamente ao seus às seus crenças religiosas".

Citando a Constituição dos Estados Unidos, o governador ainda destacou que o a recém aprovada lei de proteção ao pastor do Estado assegura que não seja exigido do líder religioso, que este faça algo que vá contra seus princípios.

"A Primeira Emenda da Constituição dos EUA garante a livre exercício da religião; e a Restauração do Ato de Liberdade Religiosa do Texas, combinado com o Ato recém-promulgado Proteção Pastor fornece proteções legais robustas para os texanos cuja fé os leva a aderir ao entendimento tradicional de casamento", declarou.

Greg ainda se declarou um defensor da liberdade religiosa e afirmou que fará o que estiver ao seu alcance para preservar este direito entre os cidadãos de seu Estado.

"Como eu já fiz no passado, vou continuar a defender a liberdade religiosa de todas os texanos -incluindo aqueles cuja consciência dita que o casamento significa a união de um homem e uma mulher", finalizou.

veja também