Pastores evangélicos se reúnem com Papa para “dialogar sobre o cristianismo”

Nomes como Mike Bickle, Che Ahn, Kris Vallotton e Stacey Campbell estiveram entre os líderes presentes no Vaticano, em uma reunião de duas horas, para um diálogo sobre o cristianismo.

fonte: Guiame, com informações de Charisma News e The Christian Post

Atualizado: Quinta-feira, 16 Junho de 2016 as 11:12

Stacey Campbell esteve entre os líderes presentes no Vaticano para um diálogo sobre o cristianismo. (Foto: Reprodução/Facebook)
Stacey Campbell esteve entre os líderes presentes no Vaticano para um diálogo sobre o cristianismo. (Foto: Reprodução/Facebook)

Um grupo de pastores norte-americanos e europeus se reuniu com o Papa Francisco na última sexta-feira (10). Nomes como Mike Bickle, Che Ahn, Kris Vallotton e Stacey Campbell estiveram entre os líderes presentes no Vaticano para um diálogo sobre o cristianismo.

De acordo com o líder do ministério House of Prayer (IHOP), Mike Bickle, o objetivo da reunião foi iniciar um diálogo sobre a visão de Francisco em relação a Jesus Cristo e ao cristianismo.

"A reunião durou cerca de duas horas. Eles nos deram a oportunidade de fazer perguntas. O encontro foi muito caloroso e pessoal", disse ele ao site Charisma News.

"Eu perguntei a ele [Francisco] sobre seus pontos de vista em relação ao grave erro do universalismo, que afirma que ‘todos os caminhos levam a Deus’ e que pessoas em outras religiões podem ser salvas sem receber a graça de Deus, que só vem através de Jesus. Ele me assegurou que acredita que Jesus é o único caminho da salvação", continuou o pastor.

Bickle conta que perguntou ao papa, intencionalmente, se realmente "Jesus é o único caminho para a salvação". O pastor descreveu Francisco como uma pessoa "muito convicta" em sua visão de Cristo como o Salvador do mundo, e enfatizou seu amor por Jesus e pelas Escrituras.

O pastor também questionou o pontífice sobre a polêmica declaração de que membros de todas as religiões são "filhos de Deus". Em resposta, Francisco esclareceu que estava se referindo a todos os seres humanos que são filhos do Criador, e não "filhos da redenção."

"Ele [Francisco] está descontente com os pontos de vista de alguns líderes católicos que não valorizam a fé dos cristãos protestantes. Ele acredita que uma estreita relação com Jesus é a única esperança para as nações", disse o pastor Bickle.

A canadense Stacey Campbell, conhecida no Brasil pelas profecias políticas sobre a nação, afirmou nas redes socias que o encontro com o pontífice foi parte da resposta da oração de Jesus Cristo, relatada em João 17. Ela ainda conta que depois de discutirem “as questões fundamentais sobre a singularidade de Cristo”, o papa entregou a eles seu livro “On Love in the Family”.


Che Ahn cumprimentando Papa Francisco, que entregou exemplares de seu livro aos pastores. (Foto: Reprodução/Facebook)

“À medida que nos aproximamos do 500º aniversário da reforma, temos a oportunidade de orar juntos e fala a verdade no amor, um para o outro. A verdade e o amor não são mutuamente exclusivas. Elas andam juntas”, disse ela.

Kris Vallotton também comentou sobre o encontro nas redes sociais. “Tive o privilégio de conhecer o Papa Francisco hoje com alguns outros pastores. Ele é realmente um grande homem. Eu amo muito ele!‪”.

Evento reunirá católicos e evangélicos nos EUA

Líderes evangélicos dos EUA estão convocando cerca de um milhão de cristãos — entre protestantes e católicos — para estarem presentes no evento de oração e adoração “Together 2016” (“Juntos 2016”). Segundo o pastor Nick Hall, idealizador do encontro, o objetivo é que Deus transforme os corações “divididos” dos americanos.

O Papa Francisco será o principal preletor da reunião por meio de uma vídeo conferência, juntamente a mais 40 líderes e cantores do meio, como Hillsong United, Kari Jobe, Kirk Franklin, Jeremy Camp, Michael W. Smith, Casting Crowns e Lecrae.

"Estamos honrados por seu envolvimento e ansiosos para compartilharmos sua mensagem com a multidão", disse Hall sobre a participação de Francisco ao site The Christian Post. "Ver que Sua Santidade escolheu falar neste dia histórico é uma prova da urgência e da necessidade de os seguidores de Jesus se unirem em oração por nossa nação e pelo mundo".

Together 2016 está marcado para acontecer no dia 16 de julho, das 9h às 21h, no National Mall, em Washington. Mais de mil igrejas do país se comprometeram a participar.


Último encontro do Papa com pastores evangélicos no Vaticano, em maio de 2015. (Foto: EPA)

O engano do ecumenismo

De acordo com uma pesquisa feita pela LifeWay Research, 40% dos pastores protestantes americanos afirmam ter uma visão mais positiva sobre a Igreja Católica depois da liderança do pontífice argentino.

Para Ed Stetzer, diretor da LifeWay, observar o apoio ao papa vindo de pastores protestantes, que surgiram após a Reforma Protestante, é algo contraditório. "A pesquisa mostra, de fato, o resultado do 'Efeito Francisco', já que ele é apoiado pelo grupo de pessoas nomeadas para protestar contra a própria fé conduzida pelo papa."

"Os precursores dos atuais pastores protestantes — Lutero, Wesley, Spurgeon e muitos outros — certamente não veriam o papa como seu 'irmão em Cristo'. Dentro de alguns séculos, o papa passou de 'anti-Cristo' para 'irmão em Cristo' para muitos protestantes", alertou Stetzer.

De acordo com o pastor Bruno dos Santos, o movimento ecumênico promovido pelo pontífice apresenta mensagens de tolerância, paz e humanidade, mas é contrário ao governo de Jesus Cristo.

"No ecumenismo, Jesus Cristo perde a sua posição de Cabeça da Igreja, pois o Vaticano diz que a mãe de todas as igrejas cristãs é a Igreja Católica Romana e que o seu cabeça é o Papa. Ele pode mudar até o que Jesus e seus apóstolos ensinaram", explica o pastor.

"O ecumenismo depõe da posição de Cristo como única fonte de salvação. Se uma igreja que crê e prega que só a Fé em Cristo é que salva, misturar-se a outra que crê e prega que algo mais é necessário para 'completar, assegurar ou garantir' a salvação, como poderão conciliar posições tão distintas?", questiona.

veja também