Por exigência de organização ateísta, escolas escondem referências a Deus em suas placas

O Distrito Escolar Independente Midlothian (TX) confirmou que as placas tinham sido cobertas temporariamente e, eventualmente, seriam substituídas por outras que não fazem referência a religião alguma.

fonte: Guiame

Atualizado: Sexta-feira, 29 Agosto de 2014 as 12:04

Por exigência de organização ateísta, escolas escondem referências a Deus em suas placasDuas escolas públicas da Texas cobriram com fita adesiva, placas que faziam referências a Deus e estavam em seus terrenos. A decisão foi tomada pelas instituições de ensino, depois de receberem uma denúncia da organização ateísta "Freedom From Religion Foundation" ("Fundação Liberdade de Religião"). O Distrito Escolar Independente Midlothian confirmou que as placas tinham sido cobertas temporariamente e, eventualmente, seriam substituídas por outras que não fazem referência a religião alguma.

As placas exibidas na Escola Elementar Mountain Peak e na Longbranch traziam a seguinte frase: "Dedicada no ano de Nosso Senhor de 1997 à educação dos filhos de Deus e os seus professores fiéis em nome da Santa Igreja Cristã. Soli Deo Gloria".

Quando um cidadão texano informou a FFRF sobre as placas em exposição, a organização ateísta escreveu uma carta para o distrito escolar, exigindo que as placas fossem retiradas.

"É preciso dizer que a escola pública não pode proclamar a glória somente a Deus, nem dedicar-se a uma igreja em particular", disse a Fundação em um comunicado.

O Superintendente Distrital, Jerome Stewart disse que o FFRF não ameaçou a instituição de ensino com uma ação legal. Ainda assim, o procurador do distrito da escola sugeriu que as instituições atendessem às demandas da organização, porque "não iriam prevalecer no tribunal, caso se recusassem a atender à requisição e a questão fosse para o tribunal".

O diretor do "Liberty Institute" (organização que prega pela liberdade religiosa), Hiram Sasser criticou a atitude do grupo ateísta.

"Nenhuma escola deve sempre agir com base em uma carta FFRF. A censura dessas placas envia uma mensagem de divisão e hostilidade para com a comunidade", disse.

Muitos pais e membros da comunidade estavam transtornados com a decisão do distrito. Prova disso é que foi criado um grupo no Facebook, com o tema "Tragam de volta as placas" já tem mais de 5.300 membros.

Com informações de ChristianHeadLines

*Tradução por João Neto - www.guiame.com.br 

veja também