Porta dos Fundos satiriza exorcismo e insinua que pastor tem "contrato com o demônio"

Em um vídeo recente, o grupo encena uma cena de exorcismo, na qual o 'pastor' se decepciona pelo fato do demônio não responder ao seu chamado.

fonte: Guiame, por João Neto

Atualizado: Quinta-feira, 11 Agosto de 2016 as 11:04

Cena da esquete "Satanás", do Porta dos Fundos. (Imagem: Youtube)
Cena da esquete "Satanás", do Porta dos Fundos. (Imagem: Youtube)

Criticar, satistizar e até mesmo ridiculizar os cristãos já parece fazer parte da agenda da produtora de vídeos "Portas dos Fundos". As esquetes que abordam temas envolvendo pastores, igrejas e até mesmo as próprias figuras bíblicas, como Jesus e outros personagens já estão ficando incontáveis e um vídeo lançado pelo grupo ao final do mês de julho vem somar com esta grande quantidade de produções que abordam o cristianismo de uma forma distorcida.

Intitulado "Satanás", o vídeo recente mostra uma encenação na qual um pastor vai tentar expulsar o demônio do corpo de um homem possesso e, ao tentar 'conversar' com o espírito é 'atendido pela secretária' deste.

A 'secretária' informa que o demônio está tomando banho e pede para que o pastor deixe um recado.

"O senhor tem hora marcada?", pergunta a voz da 'secretária' ao pastor, que explica que está ali 'em nome de Jesus'.

"Não tem nenhum Jesus com hora marcada aqui com a gente, não. Você quer marcar um horário para amanhã?", acrescenta.


"Contrato"?
Apesar do vídeo parecer 'engraçado' para muitos até certo momento, a esquete continua e o pastor chega a reclamar que "o demônio não está cumprindo a sua parte no contrato".

"Oi, Didi é o pastor Cláudio. Quando puder, me retorna, porque quarta-feira teve culto de libertação e você não apareceu. Passei vergonha na frente da igreja. A redução de dízimo foi de 70% e o pessoal não acredita mais em mim. [...] Sempre te respeitei numa boa, a gente sempre fez tudo juntinho", diz o pastor ao deixar um recado na 'caixa de mensagens do diabo'.

O vídeo acabou gerando revolta entre diversos internautas, que chegaram a expressar sua indignação nos comentários do Youtube.

"Falam tanto sobre intolerância e homofobia, mas são os primeiros a debochar dos cristãos", comentou uma usuária da rede social.

"Nem piada de religião eles não sabem fazer mais. Esse canal tá indo de mal a pior", postou outro usuário.


Contextualização
Por mais que pareça um ser um 'alerta' sobre falsos pastores que tentam forjar exorcismos, fazendo disso um 'espetáculo' em suas igrejas, o vídeo acaba dando abertura, também para uma generalização, levando muitos internautas a comentarem que "isso é comum entre os evangélicos".

A abordagem distorcida e preconceituosa da produtora comprova que as críticas são feitas às igrejas evangélicas, sem que o grupo tenha - ou pelo menos mostre - um conhecimento mais amplo sobre essas comunidades cristãs.

veja também