"Preparem-se para a perseguição", alerta Pastor Billy Graham às igrejas dos EUA

No comentário, Graham observa que a igreja americana tem sido amplamente familiarizada com a perseguição, por escrito, mas a "imunidade à perseguição que os cristãos dos EUA têm experimentado nos últimos dois ou três séculos é incomum".

fonte: Guiame, com informações do Christian Post

Atualizado: Sábado, 31 Outubro de 2015 as 2:15

Billy Graham é um dos maiores evangelistas da história ainda vivo. Mais de 5 milhões de pessoas já tomaram decisões por Jesus, ouvindo suas pregações ou tendo acesso aos materiais de sua associação evangelística
Billy Graham é um dos maiores evangelistas da história ainda vivo. Mais de 5 milhões de pessoas já tomaram decisões por Jesus, ouvindo suas pregações ou tendo acesso aos materiais de sua associação evangelística

O reverendo Billy Graham emitiu uma advertência por escrito para as igrejas norte-americanas: "Preparem-se para a perseguição".

O evangelista de renome internacional e fundador da Associação Evangelística Billy Graham escreveu um comentário que foi postado em seu site oficial, na semana passada e está programado para integrar a edição de Novembro da revista 'Decisão'.

No comentário, Graham observa que a igreja americana tem sido amplamente familiarizada com a perseguição, por escrito, mas a "imunidade à perseguição que os cristãos dos EUA têm experimentado nos últimos dois ou três séculos é incomum".

"Como um todo, a nossa nação não sabe o que realmente é a privação. Nós não sabemos o que é sacrifício. Nós não sabemos o que é sofrimento. A perseguição deve atingir a Igreja na América, como aconteceu em outros países", escreveu Graham.

"Uma vez que temos experimentado pouca perseguição religiosa neste país, é provável que, sob pressão, muitos negariam Cristo. Aqueles que gritam mais alto sobre a sua fé podem render-se mais rápido".

Graham passou a lista das "cinco maneiras para fortalecer a si mesmo de modo que você seja capaz de se firmar diante da perseguição". Estes incluíram certificar-se de sua relação com Deus, caminhar com Deus, ler regularmente as Escrituras Sagradas, orar sempre e meditar sobre Cristo.

"Hoje nossa nação se classifica como o maior poder sobre a face da Terra. Mas, se colocarmos a nossa confiança no poder das armas em vez do Deus Todo-Poderoso, o conflito que está por vir pode se voltar contra nós", prosseguiu Graham.

"A história e a Bíblia indicam que a tecnologia e bens materiais não são suficientes em tempos de grande crise".

Por muitos anos, alguns - especialmente nos círculos socialmente conservadores - têm argumentado que os Estados Unidos estão gradualmente 'marginalizando' os cristãos.

Eles apontam para coisas como a censura a exposição de presépios e a um monumento aos dez mandamentos, na propriedade do governo do Tennessee como resultado de um crescimento inerente do secularismo na mídia.

Nos últimos anos, o filho de Graham, o reverendo Franklin Graham tornou-se um crítico franco do que ele acredita ser a crescente hostilidade contra os cristãos na América.

No início de outubro, Franklin Graham escreveu um post em em sua página do Facebook, no qual ele citou o tiroteio na Universidade Umpqua, em Roseburg, Oregon (EUA) como um exemplo desta hostilidade.

Chris Harper-Mercer abriu fogo contra estudantes em Umpqua, matando nove pessoas e ferindo outras sete, antes de cometer suicídio. Os primeiros relatórios indicaram que ele se dirigiu de forma específica a estudantes cristãos.

"A perseguição e segmentação dos cristãos não acontece apenas no Irã ou no Oriente Médio, mas também aqui na América", escreveu Franklin Graham.

"As almas corajosas da universidade de Umpqua, que se levantaram para dizer que eram seguidoras de Jesus Cristo, foram baleadas sem piedade. Jesus disse: 'Se eles odeiam você, lembre-se que eles me odiavam antes de odiarem vocês"(João 15.: 18)".

veja também