Projeto de Lei visa permitir o ensino da Bíblia em escolas públicas

A proposta está tramitando no Senado como "Projeto de Lei 48" ou "eletiva religiosa" e tem a intenção de tornar as escolas e conselhos escolares impermeáveis a quaisquer ações judiciais relativas ao ensino da religião na escola.

fonte: Guiame, com informações do Christian Post

Atualizado: Quinta-feira, 15 Janeiro de 2015 as 4:57

O pequeno Adam Kotzian escolher fazer o seu dever deitado no chão de sua sala de aula, na Eagleview Elementary School, no Estado do Colorado (EUA)
O pequeno Adam Kotzian escolher fazer o seu dever deitado no chão de sua sala de aula, na Eagleview Elementary School, no Estado do Colorado (EUA)

Um novo projeto de lei a ser proposto por um senador de Oklahoma (EUA) irá proteger escolas públicas no estado de serem alvos de ações judiciais para o ensino de matérias não-sectários na Bíblia.

Mais especificamente, esta lei vai sustentar um curso bíblico instituído nas escolas públicas pela família cristã, que é dona da empresa "Hobby Lobby" de lojas de artesanato e está sendo proposta pelo senador Kyle Loveless.

A proposta está tramitando no Senado como "Projeto de Lei 48" ou "eletiva religiosa" e tem a intenção de tornar as escolas e conselhos escolares impermeáveis a quaisquer ações judiciais relativas ao ensino da religião na escola.

Ele permitirá que "nenhuma escola se sujeite a uma ação judicial em decorrência de proporcionar um curso eletivo no estudo da religião ou da Bíblia".

Loveless explicou no início desta semana que ele foi abordado por seus eleitores que lhe pediram para criar este projeto de lei, visando indenizar o Distrito Escolar Mustang, onde esta grade curricular deveria ser ensinada.

"O distrito estimou que lá aproximadamente 20-30 estudantes estariam interessados na eletiva. Na realidade, 180 estudantes se inscreveram", disse ele. "Eles ficaram extremamente decepcionados em ter a aula desta matéria [ensino da Bíblia] cancelada".

Loveless apóia a separação entre Igreja e Estado, mas sente que não há mal nenhum em dar um curso em escolas públicas, que explore os aspectos históricos da Bíblia.

"Eu não vejo nada de errado [com uma disposição] que dá aos distritos escolares locais, a capacidade de estudar os aspectos históricos da Bíblia. Esse é o meu raciocínio para o projeto de lei. Não é uma aula forçada e isso não seria algum tipo de curso de uma 'Escola Bíblica'. Não estamos endossando uma religião sobre a outra", continuou.

Ele também discutiu brevemente como o projeto de lei afetaria uma proposta de aula sobre o Alcorão na escola.

"Oklahoma é um estado predominantemente cristão. Não houve nenhum movimento para ensinar o Alcorão como um eletivo. Eu seria aberto ao debate sobre a questão", disse ele.

veja também