Projeto Redenção apresenta nova proposta de evangelismo: o 'Redenção à Mesa'

O Redenção à Mesa, que foi iniciado nesta sexta (17), sempre irá acontecer às sextas-feiras, unindo arte, comunhão e claro, uma boa comida.

fonte: Guiame, Luana Novaes

Atualizado: Segunda-feira, 20 Julho de 2015 as 6:24

 

O Projeto Redenção tem sido, desde o início, visionário. Foi idealizado há 18 anos pelo pastor Eli Moreira, enquanto cursava literatura na Universidade de São Paulo (USP). Ele resolveu chamar alguns amigos para unir seus dons e pregar o Evangelho por meio de expressões artísticas – e ainda hoje a arte continua correndo nas veias do projeto. 
 
O projeto, que antes era conhecido por acontecer as segundas-feiras, agora está com um novo formato. O Redenção à Mesa, que foi iniciado nesta sexta (17), sempre irá acontecer às sextas-feiras, unindo arte, comunhão e claro, uma boa comida. Os ingressos são vendidos a R$ 10 com direito a comida. Na última edição, yakissoba foi o prato da noite.
 
Segundo o pastor Eli, o projeto é interdenominacional e voltado ao evangelismo para quem é da igreja e quem não é. "O importante é a pessoa conhecer Jesus e ter um relacionamento com Ele. Se ela não tem, ela pode estar na igreja ou fora que ela está perdida", disse em entrevista ao Guiame.
 

Pastor Eli Moreira, idealizador do Projeto Redenção, durante entrevista ao Guiame. (Foto: Guiame/ Marcos Paulo Corrêa)
 
Por enquanto o projeto tem focado na música, mas quer aumentar seu escopo com fotografia e teatro – quem sabe até mesmo as artes plásticas. Atualmente, o Coral Redenção, que é parte do movimento, se apresenta em locais não religiosos, como hospitais e favelas. Músicos de diversas orquestras de São Paulo também irão se reunir para associar música erudita com a música brasileira cristã.
 
Para fazer parte do movimento Redenção, não há protocolos, explica o pastor Eli. "O projeto tem uma ética de trabalho. Dentro dela, estamos abertos para receber, treinar e enviar pessoas", afirma. 
 

Pastor Eli Moreira durante ministração da Palavra. (Foto: Guiame/ Marcos Paulo Corrêa)
 
Cantores à mesa
 
No primeiro Redenção à Mesa estavam presentes três jovens cantores da música cristã: Marcena, Biah e Ageu Soares. As vozes, que para muitos são novas, receberam convites pela organização do Projeto para estarem lá.
 
Marcena tem um EP gravado no ano passado, com o título Intro. Segundo ela disse ao Guiame, o título se auto explica – este é um projeto de introdução a um novo ciclo de Deus. "Os ministros de Deus tem essa função: cantar o que vive e viver o que canta. A gravação foi uma época de muito crescimento espiritual. Todas as canções do Intro têm a ver com o que eu sou, com o que eu vivo e com o que eu me propus a viver de Evangelho verdadeiro".
 
Marcena durante entrevista ao Guiame. (Foto: Guiame/ Marcos Paulo Corrêa)
 
 

Marcena em apresentação no Redençào à Mesa. (Foto: Guiame/ Marcos Paulo Corrêa)
 
Biah lançou seu primeiro CD "Eu Irei" no início do ano – como resposta ao chamado "ide" de Jesus. Ela contou ao Guiame que mesmo com as dificuldades que envolvem a gravação de um CD, Deus a tem fortalecido. "Eu adoro ao Senhor independentemente de onde eu vá chegar com esse CD ou o próximo, eu sei que Deus está comigo, recebendo minha adoração". Ela relatou que no dia do lançamento de seu CD, quinze pessoas aceitaram a Jesus. "Não tem dinheiro no mundo que pague isso. Meu ministério é voltado às almas", complementou.
 

Biah durante entrevista ao Guiame. (Foto: Guiame/ Marcos Paulo Corrêa)
 

Biah em apresentação no Redençào à Mesa. (Foto: Guiame/ Marcos Paulo Corrêa)
 
Atualmente, Ageu Soares está gravando seu primeiro CD. As músicas do novo álbum, que tem uma pegada mais "pop", já são repercutidas na internet. "Comecei a cantar com 7 anos junto com meus irmãos, e já canto há 19. Sou grato a Deus por Ele ter me dado o dom de fazer essas canções", disse ao Guiame.
 

Ageu Soares durante entrevista ao Guiame. (Foto: Guiame/ Marcos Paulo Corrêa)
 

veja também