Prostíbulo fecha as portas e dá lugar a igreja evangélica, na Bahia

Uma das responsáveis pela mudança radical foi a ex-cafetina (e atualmente evangélica), que fechou a casa de prostituição e, ajudou a abrir a nova sede de Assembleia de Deus.

fonte: Guiame

Atualizado: Segunda-feira, 7 Julho de 2014 as 8:59

Prostíbulo fecha as portas e dá lugar a igreja evangélica, na Bahia “Onde abundou o pecado, superabundou a graça”. Esta é o trecho bíblico que pode-se ler na facha da nova igreja da Assembleia de Deus Madureira, em Jequié (a 365 km de Salvador - BA). Para quem conhece o histórico do local onde a nova igreja se levantou, a frase ganha um significado ainda mais forte: durante 40 anos, a casa foi usada como prostíbulo e hoje é ocupada para a celebração dos cultos.

Uma das responsáveis pela mudança radical foi a ex-cafetina (e atualmente evangélica), Maria Amenade Coelho, de 67 anos, que fechou a casa de prostituição e, ajudou a abrir a nova sede de Assembleia de Deus, às margens da BR-116, rodovia federal que corta a cidade.

Fato que tem chamado a atenção, é que a transformação radical do propósito do local e de sua proprietária também tem atraído ex-clientes, garotas de programa e donas de prostíbulos fechados antes no município.

Numa noite de culto na semana passada, um jornalista encontrou dois ex-clientes assíduos, participando do momento.

“Vivia nesse local afundado na droga, bebida e sexo. Era só perdição. Mas o exemplo dela [Maria] me deu forças para me libertar”, diz o carregador de cargas Antonio Barbosa Teixeira, 35.

Outro homem que costumava frequentar a antiga casa de prostituição também estava no culto e testemunhou sua transformação de vida.

“Todo final de semana eu chegava aqui sete horas da noite e só saía sete da manhã do outro dia, bebendo e me drogando. Roubei várias vezes e cheguei a ficar no presídio por dois meses, mas agora estou liberto”, afirma Jéferson Barbosa Ramos, 24.

Nos cultos, a ex-cafetina agora convertida é citada como um exemplo de transformação e do milagre de Deus nas pessoas. Segundo ela, por “opção de sobrevivência”, passou 38 anos, vivendo da prostituição.

Segundo Maria, o propósito do local foi realmente transformado e ela declarou estar completamente arrependida de suas atitudes.

“Tinha muita droga, briga, só coisa ruim. Mas garanto que estou arrependida de tudo que fiz e que hoje sou outra pessoa e estou buscando a Deus”, afirma a Maria.

Ela conta que se converteu após ficar três meses de cama por causa de um problema na cartilagem dos joelhos.

“Foi um momento de pensar na vida. Recebi visitas de evangélicos que fizeram orações comigo por vários dias e me convenceram a sair daquela vida”, afirma.

Com informações da Folha.com

veja também