Protagonista de “Deus não está morto” diz que judeus mataram Jesus e gera polêmica

Eles sabiam que ele ia ser assassinado. E diante disso não há questões a serem discutidas", afirma Kevin Sorbo.

fonte: Guiame

Atualizado: Segunda-feira, 15 Setembro de 2014 as 10:03

O ator Kevin Sorbo, protagonista do filme “Deus não está morto”, gerou polêmica após afirmar que os judeus mataram Jesus em um programa da rádio cristã "Vocal Point". Kevin diz que deveria ter formulado as suas declarações de forma diferente.

Durante a entrevista na rádio, Sorbo e o apresentador Jerry Newcombe estavam discutindo sobre as acusações feitas contra Mel Gibson quando ele lançou o filme "A Paixão de Cristo". "Gibson foi atacado pela comunidade judaica durante a gravação do filme, dizendo: 'Olhe para o jeito que você está nos retratando'”, Sorbo disse. “Ok, notícia do dia: Vocês mataram Jesus."

"Eles o entregaram aos romanos", Newcombe acrescentou. "Exatamente", respondeu Sorbo. "Eles o entregaram, então eles tinham uma mão nisso".

O ator recentemente esclareceu suas declarações inflamatórias. "Aqui está o negócio. Aqui está a realidade. Os líderes judeus ofereceram Jesus a Pilatos, preferindo libertar um criminoso”, disse Sorbo. "Será que todos os judeus daquela época odiavam Jesus? Claro que não. Mas as pessoas gritavam para que o criminoso fosse liberto. Isso está no livro. Isso está nos fatos. Foi como se eles fossem cúmplices de seu assassinato. Eles sabiam que ele ia ser assassinado. E diante disso não há questões a serem discutidas", afirma Sorbo.

Embora ele mantenha sua declaração feita no "Vocal Point," Sorbo disse que poderia ter reformulado o que disse. "Eu deveria ter formulado melhor. Nós vivemos em um tempo onde tudo é examinado", disse a ex ator de "Hércules". "Os liberais gostam de projetar uma falsa imagem na parede, e quando olham para ela, ficam muito chateados com o que eles próprios criaram."

 

Com informações de Christian Today
www.guiame.com.br

veja também