"Quase virei ateu", diz pastor Augustus Nicodemus sobre provação de fé na juventude

O ministro da Primeira Igreja Presbiteriana de Goiânia compartilhou sobre uma experiência que quase prejudica a sua fé durante seu doutorado na Holanda.

fonte: Guiame

Atualizado: Terça-feira, 2 Agosto de 2016 as 4:46

Nicodemus também se refere ao marxismo imposto no ambiente acadêmico. (Foto: Reprodução).
Nicodemus também se refere ao marxismo imposto no ambiente acadêmico. (Foto: Reprodução).

O pastor Augustus Nicodemus compartilhou em um testemunho pessoal que ele enfrentou dificuldades com sua fé durante seu doutorado na Holanda. O vídeo publicado na página "A voz que clama no deserto" ultrapassou as 25 mil visualizações. “Na minha vida, já houve momentos em que eu duvidei da minha salvação e não foi uma vez só não. Já me vi assediado por doutrinas, pelo ateísmo, por ideias liberais”, iniciou.

O ministro da Primeira Igreja Presbiteriana de Goiânia compartilhou sobre uma experiência que quase prejudica a sua fé. “A experiência mais marcante que eu passei nisso, eu já contei algumas vezes e não faz mal repetir, eu estava terminando meu doutorado na Holanda e o meu orientador não acreditava nem que Cristo tinha morrido pelos nossos pecados. Não sei o que ele estava fazendo em uma escola de teologia, mas era o meu orientador”, continuou.

“Passou uma penca de livros de liberais alemães pra eu ler. Acho que ele queria acabar com a minha fé e quase conseguiu”, disse o Reverendo.

“Eu comecei a ler aqueles homens, e aqueles homens argumentam bem. Gente com doutorado em Oxford, Cambridge. Comecei a ler aquilo e aquilo foi começando a criar dúvidas no meu coração”, contou.

“Chegou um momento lá na Holanda que eu me ajoelhava ao lado da cama para orar e eu não conseguia. Eu não tinha certeza de que havia alguém do outro lado pra me escutar. E desesperado, finalmente encontrei um professor, meu orientador nos Estados Unidos. Um homem crente, que eu abri meu coração e contei sobre minhas dúvidas” ressaltou.

“Ele disse: 'Ah, é isso? Faz o seguinte, leia o fulano de tal, livro tal, leia fulano de tal, livro tal porque refuta tudo isso que você escutou”, prosseguiu.

“Gente, eu escapei de ser ateu, ô... Mas, eu me lembro de uma coisa. Em todos esses momentos eu não conseguia virar as coisas pra Deus. Eu não conseguia abandonar Deus. Era como se eu dissesse assim: 'Eu não tenho certeza de que o Senhor existe, mas eu vou continuar aqui'. Eu não consegui virar as coisas pra Deus. E hoje eu sei que foi Ele quem me segurou, como eu sei que é Ele quem segura você também”.

Nicodemus finaliza se referindo ao marxismo imposto no ambiente acadêmico. “Na hora da dor, da crise, do sofrimento. O jovem universitário na universidade com professor marxista, professor ateu, num ambiente que vai minar a cabeça dele, você pode ter certeza de uma coisa. Se você não andar perto de Deus, se você não depender de Deus, você corre um grande perigo. É Deus quem nos segura”, concluiu.

Confira o vídeo:

veja também