Rainha Elizabeth não concorda com o casamento gay, devido à sua fé cristã

Um 'amigo' da Rainha teria relatado que ela estaria se sentindo 'frustrada' com a aprovação do casamento gay no Reino Unido.

fonte: Guiame, com informações do Christian Today

Atualizado: Terça-feira, 8 Março de 2016 as 9:56

A rainha é Governadora Suprema da Igreja da Inglaterra, que se opõe fortemente ao casamento gay (Foto: reuters)
A rainha é Governadora Suprema da Igreja da Inglaterra, que se opõe fortemente ao casamento gay (Foto: reuters)

A rainha Elizabeth não acredita que casamento gay deveria ter sido permitido, disse uma fonte ao Daily Mail.

O jornal cita a declaração de um "amigo", que afirmou que ela favorece 'parcerias civis', mas por causa de sua profunda fé cristã, não apoia o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Isto é porque ela acredita que o cristão tradicional deve continuar considerando o casamento como uma união entre um homem e uma mulher.

A lei que permite o casamento entre pessoas do mesmo sexo foi aprovada na Inglaterra e no País de Gales em 2013 e entrou em vigor em 2014. Foi também aprovado na Escócia, em 2014, mas ainda não é permitido na Irlanda do Norte.

A rainha teria dito a seu amigo que estava frustrada pela aprovação da lei, mas não tinha como intervir.

O amigo disse: "Eu perguntei a ela se ela não podia fazer algo sobre isso e ela respondeu: 'Eu não posso. Só posso aconselhar e alertar".

O amigo acrescentou: "Foi o termo 'casamento' que ela acreditou ser a questão nesta lei, porque o casamento deveria ser sagrado entre um homem e uma mulher".

A matéria do Daily Mail é a primeira de uma série que está sendo publicada pelo jornal para marcar o 90º aniversário de Sua Majestade, celebrado no próximo mês.

O Palácio de Buckingham não fez comentários, porque nunca comenta sobre o que são consideradas questões privadas.

A rainha é Governadora Suprema da Igreja da Inglaterra, que se opõe fortemente ao casamento gay e tem buscado se proteger da exigência de ter que permitir o casamento gay em suas igrejas.

No ano passado, o jornal 'Pink News' (pró-LGBT) relatou uma história contada pelo comediante e ator Stephen Fry, na qual a rainha havia pensado que casamento gay fosse realmente uma coisa boa.

Fry disse no programa 'Jonathan Ross Show': "Quando a rainha assinou a aprovação real para o casamento entre pessoas do mesmo sexo, permitindo que as pessoas homossexuais se casem pela primeira vez, ela olhou para baixo e disse: 'Bem, quem teria pensado que 62 anos atrás, quando eu subi ao trono, eu estaria assinando algo assim? não é maravilhoso?".

Fry continuou: "Eu estou tão orgulhoso de viver em um país onde a 'aceitação' parece ser a opinião da maioria absoluta".


"A Serva Rainha e o Rei a quem Ela Serve"
Recentemente, o anúncio do lançamento do livro “The Servant Queen and the King She Serves” movimentou as redes sociais, conforme o Guiame publicou anteriormente.

Além de sua fé cristão, a rainha também chama a atenção no livro sobre a perseguição contínua aos cristãos no Oriente Médio, um assunto que ela vem tocando em inúmeras ocasiões.

veja também