Revista "Charlie Hebdo" já havia satirizado também o cristianismo e judaísmo

Confira algumas das polêmicas capas da revista, envolvendo figuras / líderes religiosos

fonte: Guiame

Atualizado: Quinta-feira, 8 Janeiro de 2015 as 9:20

Vítimas de um atentado que chocou o mundo na última quarta-feira, 07/01, em Paris, os cartunistas da revista francesa "Charlie Hebdo" já haviam sofrido ameaças de grupos extremistas islâmicos anteriormente, em razão de publicações que envolviam líderes muçulmanos.

Exemplo disto, foi a divulgação de uma das capas do veículo de comunicação, na qual um desenho mostrava o próprio profeta Maomé beijando um dos cartunistas na boca. "O amor, mais forte do que o ódio", dizia uma legenda da publicação.

O motivo desta ação específica ainda não foi oficialmente confirmado, porém desconfia-se que a causa deste ataque tenha sido a publicação de uma imagem (desenho) na qual o líder do grupo "Estado Islâmico" (ISIS), al-Baghdadi desejava "saúde a todos neste Ano-Novo".

Fato é que, não apenas o islamismo foi tema das sátiras publicadas pela polêmica revista, mas religiões como o judaísmo e até mesmo o cristianismo já caíram na "navalha afiada" deste grupo de cartunistas franceses.

Em uma de suas polêmicas capas com cartoons, a Charlie mostrava alguns cardeais reunidos abaixo da cruz na qual Cristo estava crucificado (e ainda vivo). A imagem fazia menção à eleição do papa e acusava o Vaticano com a frase "Outra eleição fraudada". Ainda na figura, Jesus Cristo dizia aos líderes católicos: "Escolham ainda hoje! Eu quero votar!".

Nenhuma ameaça de morte / atos violentos de cristãos ou judeus foram registrados contra estes cartunistas franceses.

Confira no álbum abaixo, algumas das polêmicas capas da revista, envolvendo figuras e líderes religiosos:

 

Confira algumas das polêmicas capas da revista, envolvendo figuras / líderes religiosos

veja também