"A revolução gay tem as sementes da autodestruição dentro de si", diz pastor dos EUA

Durante uma palestra em um congresso anual, nos EUA, o pastor e escritor Michael Brown lembrou que os cristãos não devem encarar a homossexualidade com um discurso de ódio, mas os incentivou a permanecerem firmes com relação aos princípios bíblicos.

fonte: Guiame, com informações do Christian Post

Atualizado: Quinta-feira, 29 Outubro de 2015 as 3:26

Michael Brown é pastor, escritor e autor do livro "A Teoria Queer Chegou à América".
Michael Brown é pastor, escritor e autor do livro "A Teoria Queer Chegou à América".

"A agenda LGBT não vai durar mais que o testemunho cristão", de acordo com o pastor Michael Brown, fundador e presidente da Escola Cristã de Ministérios 'Fire'. Ele acredita que "a revolução gay tem as sementes da autodestruição dentro de si".

Falando na Conferência Nacional anual do Seminário Evangélico do Sul sobre Apologética Cristã, na Calvary Church, no início deste mês, Brown disse que, embora muitas igrejas não queiram abordar questões relativas à cultura e direitos do movimento LGBT, ele acredita que estes assuntos "absolutamente devem ser abordados".

Clamando por compaixão pelas pessoas que se identificam como LGBT, Brown aconselhou os cristãos que "resistam à agenda ativista gay com coragem", mas que o façam com "corações de compaixão e uma espinha dorsal de aço" - que segundo ele, não são negociáveis ​​na luta pela cultura - e permanecçam fiéis ao testemunho cristão.

"Jesus andava com os publicanos e pecadores, sim, mas ele não os ensinva a extorquir mais dinheiro ou dormir com mais homens", declarou Brown, que também é o apresentador do programa de rádio nacionalmente sindicalizado "The Line of Fire".

O fato de "ativistas LGBT terem passado de intimidados às intimidadores" foi um tema recorrente dentro palestra de Brown, na conferência. Ele argumentou que essas táticas iriam sair pela culatra e disse que ele tem sido chamado de "nazista" e recebendo várias ameaças de morte.

Brown chamou de resistência "intensa" e argumentou que o ódio por parte do movimento LGBT é imenso, quando simplesmente se fala sobre verdades bíblicas e cristãs a respeito da sexualidade humana.

"Se você apenas falar que uma criança deve ter uma mãe e meu pai, hoje você vai ser odiado, vilipendiado", afirmou ele.

Brown argumentou ainda que o caos moral na cultura e na sociedade é a razão pela qual o Movimento LGBT ganhou força. Ele também apontou que a 'poliafetividade', casais vivendo juntos e a não distinção de gêneros são comemoradas e exaltadas na cultura secualr.

Entre os oito pontos listados por Brown como essenciais para superar a agenda LGBT, estão: "Nunca comprometer seus princípios", "celebrar distinções de gêneros" e "recusar-se a redefinir o casamento".

Deus "nos deu uma Palavra clara quando se trata de casamento, quando se trata de família, quando se trata de sexualidade", acrescentou.

Brown exclamou que grande parte das igrejas "venderam sua alma para continuaram 'relevantes".

"Se mantivermos os princípios de Deus e buscá-Lo para um avivamento, esta será a última uma posição", acrescentou.

Durante o evento, Brown, que também é escritor, explicou que editoras e agências de marketing recusaram-se a publicar ou divulgar seu livro "A Teoria Queer Chegou à América". Isto o levou a criar sua própria agência de publicação para sua lançar seu livro em 2011.

O pastor e escritor também disse que ele comercializou a publicação como o "livro que os editores tinham medo de tocar". Ele acrescentou que não escreveu o livro para ser ofensivo.

"Eu não tenho nenhuma cópia aqui porque nós vendemos tudo da primeira edição do livro", disse Brown, entre aplausos. Seu livro mais recente, que é baseado em sua palestra na conferência, é intitulado "Superando a Agenda Gay".

veja também