Sargento cristão é retirado à força de cerimônia, após citar o nome de Deus

Oscar Rodriguez foi convidado para dar o discurso de "dobra da bandeira" em uma cerimônia militar. Em 2005, o governo dos EUA mudou o discurso de "dobra da bandeira" para remover todas as referências a Deus, mas Rodriguez ainda usa o formato original.

fonte: Guiame, com informações do BreitBart

Atualizado: Quarta-feira, 22 Junho de 2016 as 10:55

Cerimônia de dobra da bandeira. (Foto: jqpublicblog)
Cerimônia de dobra da bandeira. (Foto: jqpublicblog)

Um veterano da Força Aérea foi retirado à força de uma cerimônia na base de Travis, Califórnia, na qual ele estava dando um discurso, porque mencionou Deus em sua fala.
 
De acordo com o site norte-americano 'Breitbart', o sargento aposentado, Oscar Rodriguez foi convidado pelo Sargento Charles Roberson para dar o discurso de "dobra da bandeira", na cerimônia de aposentadoria de Roberson.
 
Rodriguez é frequentemente solicitado para dar esse discurso em tais cerimônias, pois ele tem uma voz imponente. Ele também opta por utilizar a versão tradicional do discurso que inclui uma referência a Deus.
 
Em 2005, o governo mudou o discurso de "dobra da bandeira" para remover todas as referências a Deus. Alguns alguns membros do serviço militar ainda preferem usar a versão tradicional, que diz: "Vamos orar para que Deus reflita com admiração a vontade de uma nação em suas tentativas para livrar o mundo da tirania, opressão e miséria. É esta uma nação sob Deus que chamamos, com honra, os Estados Unidos da América".
 
O discurso conclui, "Deus abençoe a nossa bandeira. Deus abençoe nossas tropas. Deus abençoe a América".
 
Em um vídeo, os espectadores podem assistir Rodriguez dando esse discurso quando quatro pilotos agarrá-lo e acompanhá-lo à força do quarto enquanto ele continua a gritar as palavras do discurso.

Confira logo abaixo:


 
O Instituto 'First Liberty' (EUA) está defendendo Rodriguez, exigindo o reconhecimento de que ele teve seus direitos violados.
 
Especificamente, Instituto 'First Liberty' está exigindo que os militares façam quatro coisas: (1) emitam um pedido formal de desculpas, escrito para Rodriguez; (2) admitam que a Força Aérea violou seus direitos civis; (3) entreguem uma promessa por escrito a Rodriguez, afirmando que ele é bem-vindo na base da Força Aérea para exercer sua liberdade de expressão e (4) que os responsáveis ​​pela remoção forçada de Rodriguez da sala sejam processados.
 
O instituto 'First Liberty' diz que se a Força Aérea não atender a esses requisitos, eles vão abrir um processo em nome de Rodriguez.

veja também