Segundo pesquisa, organização evangélica contribui para reforma da imigração nos EUA

Evangélicos republicanos têm mudado mais no sentido de apoiar a reforma da imigração, especialmente nos estados onde a organização comprou anúncios de rádio.

fonte: Guiame

Atualizado: Sexta-feira, 5 Setembro de 2014 as 4:09

Segundo pesquisa, organização evangélica influencia reforma da imigração nos EUAOs esforços da "Evangelical Immigration Table" ("Mesa da Imigração Evangélica") para construir o apoio para a reforma da imigração nos Estados Unidos têm alcançado um sucesso modesto, de acordo com uma nova pesquisa.

Evangélicos republicanos de cor branca têm mudado mais no sentido de apoiar a reforma da imigração, especialmente nos estados onde a organização comprou anúncios de rádio, segundo Michele Margolis, professora assistente de ciência política na Universidade da Pensilvânia, relatou. O texto oficial "Quais são os alcances e limites da influência religiosa? Mensagens religiosas e atitudes de imigração", foi apresentado recentemente, na Reunião Anual da Associação Americana de Ciência Política.

Entre fevereiro de 2013 e fevereiro de 2014 evangélicos republicanos tornaram-se ligeiramente mais favorável à reforma da imigração, enquanto não-evangélicos republicanos tornaram-se mais avessos à proposta. As diferenças entre os evangélicos brancos eram ainda mais acentuadas nos estados que tinham anúncios de rádio da "EIT", apesar do fato de que os evangélicos brancos nesses estados começaram eram inicialmente mais avessos à reforma da imigração do que os evangélicos brancos nos estados que não têm anúncios de rádio da organização.

A "EIT" é uma coalizão de grupos e líderes evangélicos de todo o espectro político, formada em 2012 para pedir a reforma do sistema de imigração dos EUA com base em um conjunto de seis princípios. A coalizão inclui grupos como "Pão para o Mundo", "Associação Nacional de Evangélicos", "Conferência National Hispanic Christian Leadership", "Sojourners", "Ética e Comissão de Liberdade Religiosa da Convenção Batista do Sul", "World Relief" e "World Vision" ("Visão Mundial").

Como parte dos esforços de mobilização da "EIT" em 2013, anúncios de rádio foram comprados em 16 estados. Algumas congregações também participaram do projeto "40 Dias do Desafio Oração", para passar este período lendo e orando cerca de 40 versículos bíblicos relacionados à imigração.

A reforma da imigração parece ter ganho algum impulso no verão de 2013, após a legislação de reforma da imigração ser aprovada no Senado dos EUA.

Margolis utilizou o Estudo de Painel norte-americano, uma amostra nacionalmente representativa de 2.000 adultos que foram entrevistados pela primeira vez em fevereiro de 2013, enquanto a "EIT" ainda era jovem; novamente em setembro de 2013 depois que os anúncios de rádio e o "desafio oração" começaram; e novamente em fevereiro de 2014.

Entre brancos evangélicos republicanos, ela descobriu que a oposição à reforma da imigração - que inclui um caminho para o status legal para os imigrantes não autorizados - caiu 12 pontos percentuais, passando de 62% em fevereiro de 2013, para 55% em setembro de 2013 e para 50% em fevereiro de 2014. Durante o mesmo período, os não-evangélicos republicanos caminharam em direção oposta, tornando-se mais avessos à reforma da imigração.

Margolis encontrou mais uma prova de que esta divergência entre não-evangélicos e evangélicos republicanos deve-se à "EIT", comparando evangélicos brancos nos estados que tinham anúncios de rádio da organização com aqueles nos estados que não tiveram os anúncios.

A oposição à reforma da imigração entre os evangélicos brancos diminuiu 15 pontos percentuais - de 62 a 47% - nos estados que tiveram os anúncios de rádio da "EIT" - Arizona, Califórnia, Colorado, Flórida, Geórgia, Idaho, Illinois, Kentucky, Montana, Carolina do Norte, Ohio, Oklahoma, Carolina do Sul, Tennessee, Texas e Wisconsin. Em estados sem os anúncios, no entanto, a oposição Evangélica branca à reforma da imigração permaneceu o mesmo em 50%.

Com informações do Christian Post

*Tradução por João Neto - www.guiame.com.br 

veja também