Sexo, dinheiro e poder devem ser "usados para glorificar a Deus", segundo John Piper

Em um artigo recente, o pastor e escritor reconheceu que estas coisas podem ser perigosos se desfrutados descontroladamente, mas também têm um grande potencial positivo, sendo inicialmente criados como presentes de Deus.

fonte: Guiame, com informações do Christian Post

Atualizado: Quarta-feira, 4 Maio de 2016 as 2:08

John Piper é pastor, escritor e chanceler do Seminário Bethlehem, de Minnesota (EUA). (Foto: Desiring God)
John Piper é pastor, escritor e chanceler do Seminário Bethlehem, de Minnesota (EUA). (Foto: Desiring God)

Enquanto dinheiro, sexo e poder podem ser perigosos se usados incorretamente, eles também devem ser vistos como presentes que podem ser usados ​​para glorificar a Deus. É o que o pastor e escritor John Piper alerta em seu novo livro "Vivendo na Luz: Dinheiro, Sexo e Poder".

Teólogo e chanceler do Seminário Bethlehem, de Minnesota (EUA), Piper disse em um de seus artigos recentemente publicados, que o foco de seu novo livro de 150 páginas está nos perigos desses três fatores - dinheiro, sexo e poder - mas também nas recompensas que estas coisas podem trazer, se utilizadas corretamente e de forma respeitosa.

O professor evangélico explicou no artigo publicado em seu site oficial 'DesiringGod.org', que "dinheiro, sexo e poder não são apenas perigos. Eles são potenciais. Eles estão presentes. Eles são oportunidades para exaltar o nome de Deus e promover a Sua causa o mundo".

Piper inicialmente usou a metáfora de um iceberg para explicar os perigos destas três temáticas, sugerindo que vemos apenas a "ponta" dos perigos potenciais dessas tentações. Mas ele também alertou existem os efeitos positivos que cada uma dessas coisas podem surtir.

Em última análise, "[...] dinheiro, sexo e poder são bons presentes de Deus que podem ser utilizados com grande amor e eficácia no atendimento a outras pessoas e para glorificar a Deus," Piper explica.

Estas coisas foram originalmente criadas como presentes, o teólogo continua, e se eles acabam sendo usados ​​como "instrumentos de pecado" é porque os distorcemos desta forma.

Porque "dinheiro, sexo e poder, todos têm um potencial único para expressar o valor e a beleza de Cristo", então nós, como cristãos devemos trabalhar para "definir, derrotar e implantá-los", Ou seja, "é preciso definir essas coisas, derrotar o seu potencial pecaminoso e implantar o seu potencial para serem trabalhados como presentes de Deus".

veja também