A síndrome de Judas

Bom, eu quero falar um pouco sobre dízimos e ofertas, e acredito que não falaremos tudo somente nesse artigo, pois há muita coisa a ser ensinada.

fonte: Verbo da Vida - São Paulo

Atualizado: Quinta-feira, 18 Setembro de 2014 as 12:15

A síndrome de JudasEsses dias, procurando assistir uma mensagem que edificasse minha fé na internet, me deparei com um suposto ministro do evangelho, que corrigia erros doutrinários de muitos pastores e pregadores do evangelho. Um dos pontos que ele mais debatia, era a questão sobre dízimos e ofertas. É lamentável ver tanta ignorância disfarçada de eloqüência. E pior, a quantidade de cristãos que estão caindo na armadilha do “fermento velho”.

Amados, vamos estudar a palavra, ouvir e assistir ministrações que estão de acordo com as escrituras, porque há muitas doutrinas de homens e de demônios “rolando” por aí e confundindo muitos filhos de Deus. Como saber se uma doutrina é confiável? Ela tem que ter no mínimo três testemunhas! (três textos que comprovam que aquela doutrina é bíblica).

Bom, eu quero falar um pouco sobre dízimos e ofertas, e acredito que não falaremos tudo somente nesse artigo, pois há muita coisa a ser ensinada.

Primeiramente, devemos entender que não existe somente um tipo de oferta. Há vários tipos bíblico de ofertas. Existe a oferta para manter a obra do Senhor e seus ministros, existe a oferta alçada (uma oferta especial para um fim específico), a oferta aos pobres (ajudar aos necessitados), oferta as viuvas, e por aí vai. Porém, o que eu estou ouvindo por aí, nesta minha vida de andar por esse país, é que o cristão não deve mais entregar seu dízimo, por que era algo da lei e agora estamos na graça, e também não é mais para ficar ofertando em pastores, igrejas e ministros, mas somente para ajudar aos pobres.

O interessante é que, a maioria dessas pessoas que estão ensinado isso, não acredita mais em igreja ou comunidades que se reúnem em lugares que chamamos de “templos”. Pelo tom das vozes dessas pessoas, fica claro que elas já saíram desse meio que hoje elas mesmas condenam, porque foram insubmissas, rebeldes, pastores de si mesmas. E, agora, estão na tentativa de criar um grupo de “extermínio doutrinário” ensinando tolices, extremos e confusão na cabeça dos débeis na fé.

Veja bem, se um cristão é avarento, ganancioso, ama as riquezas, detesta falar em dar dinheiro; quando ele ouvir essa doutrina de demônio que não precisa mais dar oferta na igreja, será que ele não vai cair nessa e dizer: “Isso que é doutrina! Glória a Deus por uma doutrina tão abençoada!” porque é a fraqueza dele? É claro que sim! Muita gente que tem problema com dinheiro vai aderir essa falsa doutrina, porque toda doutrina de demônio concorda com a carne e não com o fruto do espírito!

Observe que estes que ensinam “Não dê mais oferta na igreja, não dê mais dízimo” são aqueles insubordinados, infiéis, amigo de contendas e avarentos. Estes estão na revolta de Corá, que influenciou muitos a perdição e morte (Judas 1:11). Estes estão com a síndrome de Judas.

Leia atentamente esse texto:

1 Seis dias antes da Páscoa, foi Jesus para Betânia, onde estava Lázaro, a quem ele ressuscitara dentre os mortos.

2 Deram- lhe, pois, ali, uma ceia; Marta servia, sendo Lázaro um dos que estavam com ele à mesa.

3 Então, Maria, tomando uma libra de bálsamo de nardo puro, MUI PRECIOSO, ungiu os pés de Jesus e os enxugou com os seus cabelos; e encheu- se toda a casa com o perfume do bálsamo.

4 Mas Judas Iscariotes, um dos seus discípulos, o QUE ESTAVA PARA TRAÍ-LO, disse:

5 Por que não se vendeu este perfume por trezentos denários E NÃO SE DEU AOS POBRES?

6 Isto disse ele, não porque tivesse cuidado dos pobres; mas porque era ladrão e, tendo a bolsa, tirava o que nela se lançava.

7 Jesus, entretanto, disse:Deixa- a! Que ela guarde isto para o dia em que me embalsamarem; 8 PORQUE OS POBRES, SEMPRE OS TENDES CONVOSCO, mas A MIM nem sempre me tendes.

Sabemos que é bíblico cuidar dos pobres. Jesus também cuidava dos pobres. Porém, nesse texto específico, vemos que a oferta aqui não era para os pobres. E Jesus fez distinção entre os pobres e ele: “… OS POBRES, SEMPRE OS TENDES CONVOSCO… MAS A MIM NEM SEMPRE ME TENDES”.

Se todas as ofertas que recolhemos na igreja são apenas para ajudar os pobres, Jesus teria que ter concordado com Judas quando ele disse: “Por que não se vendeu este perfume por trezentos denários E NÃO SE DEU AOS POBRES?”.

Esse mesmo espírito de engano e roubo ainda está falando através desses falsos mestres para enganar os cristãos e roubar o meio pelo qual Deus pode multiplicar! Eles dizem: “Porque estamos dando dinheiro para a igreja se poderíamos ajudar aos pobres?”. Quem ouviu Judas falando parecia que ele se importava com os pobres, parecia um herói dos pobres, mas na verdade era ladrão.

No verso 8, Jesus diz: “Os pobres sempre tendes… Mas A MIM nem sempre tendes”. Só aqui nós vemos dois tipos de oferta. A oferta aos pobres e a oferta ao Senhor, e o Senhor não é pobre.

Podemos ver outra diferença de tipos de ofertas bíblicas nas cartas aos Coríntios.

Por exemplo: em 2 Corintios capítulos 8 e 9, está falando sobre ofertas ao pobre, enquanto 1 Corintios 9:1-14 está falando sobre dízimos e também sobre as ofertas aos ministros do evangelho.

Agora, é errado usar o capítulo de 2 Coríntios 9 para tirar ofertas na igrejas ou para ministros? Claro que não! Pois embora Paulo está falando especificamente sobre oferta aos pobres, ele está usando O MESMO PRINCÍPIOS PARA TODOS OS TIPOS DE OFERTAS, DAR E RECEBER.

Veja:

2 Coríntios 9.10

10 Ora, aquele que dá semente ao que semeia e pão para alimento também suprirá e aumentará a vossa sementeira e multiplicará os frutos da vossa justiça,

Aqui ele está falando sobre o princípio de dar, de semear. (seja qual for o tipo de oferta).

O apóstolo Paulo, como ministro do evangelho, vivia das ofertas que a igreja recolhia e enviava para ele. Assim como todo pastor ou ministro do evangelho vive hoje, sustentado pelas doações, ofertas de amor semeada pela igreja!

Filipenses 4.15-19

15 E sabeis também vós, ó filipenses, que, no início do evangelho, quando parti da Macedônia, nenhuma igreja se associou comigo no tocante a DAR E RECEBER, senão unicamente vós outros;

16 porque até para Tessalônica mandastes não somente uma vez, mas duas, O BASTANTE PARA AS MINHAS NECESSIDADES. (Veja, o bastante).

17 Não que eu procure o donativo (Ser ganancioso), mas o que realmente me interessa é O FRUTO QUE AUMENTE O VOSSO CRÉDITO. 

18 Recebi tudo e TENHO ABUNDÂNCIA; ESTOU SUPRIDO, desde que Epafrodito me passou às mãos o que me veio de vossa parte como aroma suave, como sacrifício aceitável e aprazível a Deus.

19 E o meu Deus, segundo a sua riqueza em glória, há de suprir, em Cristo Jesus, cada uma de vossas necessidades.

Veja, o apóstolo Paulo diz nas escrituras, que os irmãos recolhiam ofertas para manter seu ministério, e o próprio apóstolo diz a quantidade: “RECEBI TUDO E TENHO ABUNDÂNCIA”.

E porque os irmãos semearam em seu ministério, Paulo diz para eles: “O meu Deus suprirá cada uma de vossas necessidades!”.

Jesus ajudava sim aos pobres, com as ofertas que semeavam na vida e ministério dele. Mas Jesus também mantia a sua equipe ministerial, seus doze discípulos, e suas famílias. Da onde vinha esse dinheiro para o ministério de Jesus? Dos fiéis que o seguiam.

Lucas 7.1-3

1 Aconteceu, depois disto, que andava Jesus de cidade em cidade e de aldeia em aldeia, pregando e anunciando o evangelho do reino de Deus, E OS DOZE IAM COM ELE,

2 e também algumas mulheres que haviam sido curadas de espíritos malignos e de enfermidades:Maria, chamada Madalena, da qual saíram sete demônios;

3 e Joana, mulher de Cuza, procurador de Herodes, Suzana e muitas outras, AS QUAIS LHE PRESTAVAM ASSISTÊNCIA COM OS SEUS BENS.

Poderia ficar o ano inteiro falando sobre ofertas no novo testamento, porque há muitas passagens bíblica nos ensinando sobre todos os tipos de ofertas.

Quero que fique bem claro, que eu estou aqui apenas defendendo a visão bíblica sobre ofertas e não me utilizando desse artigo para pedir ofertas.

Para finalizar, há outra passagem bem interessante de uma pessoa pobre dando tudo que possuía como oferta “na igreja”. Vamos ver:

Lucas 21.1-4

1 Estando Jesus a observar, viu os ricos lançarem suas ofertas no gazofilácio.

2 Viu também certa viúva pobre lançar ali duas pequenas moedas;

3 e disse:Verdadeiramente, vos digo que esta viúva pobre deu mais do que todos.

4 Porque todos estes deram como oferta daquilo que lhes sobrava; esta, porém, DA SUA POBREZA DEU TUDO O QUE POSSUÍA, TODO O SEU SUSTENTO.

Você não acha interessante que Jesus, que ajudava os pobres, deixou UMA VIÚVA POBRE, ofertar tudo o que ela possuía, todo o seu sustento e Jesus não a impediu? Por que Jesus, sabendo que aquela viúva era pobre, deixou ela dar tudo? O que você teria dito se estivesse nesse culto vendo essa cena? Ficaria indignado com Jesus, tirando dinheiro de uma pobre senhora? Ou ficaria indignado com a viúva, dando dinheiro para alguém que tem até um tesoureiro?

Talvez muitos diriam o que esses falsos mestres estão dizendo sobre a sua oferta: “Você vai pegar o seu dinheiro e dar para o pastor da igreja viver as suas custas?”.

Jesus dava pão aos pobres, mas para que um pobre deixe de ser pobre, ele precisa se utilizar do princípio de Deus, Dar! Foi por isso que Jesus não a impediu, pelo contrário, elogiou a viúva por ter dado um grande passo de fé e amor.

Guarde o seu coração, estude a Palavra de Deus, leia bons livros que seus líderes indiquem, ouça e assista mensagens que estão de acordo com o que você crer, na Palavra de Deus!

Por Eliezer Rodrigues - Pastor da Igreja Evangélica Verbo da Vida, em São Paulo

veja também