"Sorocaba é do Senhor Jesus Cristo": placa é alvo de mais um protesto; veja histórico

Inaugurado em dezembro de 2006 por iniciativa de lideranças ligadas à igreja evangélica, o totem tem gerado controvérsias e manifestações desde o dia de sua instalação.

fonte: Guiame, com informações de Jornal Cruzeiro do Sul

Atualizado: Terça-feira, 13 Janeiro de 2015 as 9:02

 

A placa com a inscrição "Sorocaba é do Senhor Jesus Cristo", localizada na alça de acesso à rodovia Castelinho, amanheceu com um corte em cima da palavra Jesus, na quinta feira, 8/01.

Para Eduardo Bortolossi, presidente do Conselho de Pastores, o ato não pode ser considerado um protesto, mas sim intolerância religiosa. "Nós entendemos que isso não é sinal de protesto e sim de vandalismo. Estamos vivendo um tempo de intolerância religiosa, visto o que aconteceu ontem (anteontem) na França. É inaceitável ver uma coisa dessa acontecendo, pessoas morrendo por isso. Esse totem não é de propriedade do povo evangélico ou católico, mas é como se os cristãos saíssem depredando tudo o que for de outra crença".

O totem já havia sido alvo de manifestações ao longo dos anos anteriores. No dia 16/12, o Tribunal de Justiça de São Paulo reformou a sentença do juiz da Vara da Fazenda Pública de Sorocaba, José Eduardo Marcondes Machado, que determinava à Prefeitura que retirasse a placa. O processo ainda não foi decidido pelo Superior Tribunal de Justiça.

"Vamos fazer uma notificação oficial na Prefeitura para que haja pelo menos uma vigilância no local, porque acima de tudo é um patrimônio que está sendo depredado. Não é possível que não haja uma fiscalização e que nunca se encontre quem faz isso. Resta lamentar", disse Bortolossi. O pastor acredita que o ato foi feito em repúdio a permanência da placa, como resultado da ação ganha na Justiça em dezembro passado.

Inaugurado em dezembro de 2006 por iniciativa de lideranças ligadas à igreja evangélica, o totem tem gerado controvérsias e manifestações desde o dia de sua instalação. Veja o histórico de manifestações em torno do marco da cidade.

Inaugurado em dezembro de 2006 por iniciativa de lideranças ligadas à igreja evangélica, o totem tem gerado controvérsias e manifestações desde o dia de sua instalação.

veja também