Sucessor de Feliciano diz que não é a favor nem contra casamento gay

Sucessor de Feliciano diz que não é a favor nem contra casamento gay

Atualizado: Quarta-feira, 5 Março de 2014 as 11:08

Sucessor de Feliciano diz que não é a favor nem contra união homoafetivaO recém-eleito para assumir a presidência da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, Assis do Couto (PR - PR) - sucessor de Marco Feliciano (PSC - SP) - parece ter posicionamentos mais "suaves" em relação a temas que geraram bastante polêmica durante a direção de seu antecessor, como a união homoafetiva, por exemplo.
 
Couto se declarou católico e afirmou que a comunidade de lésbicas, gays, bissexuais, transexuais e transgêneros (LGBT) será ouvida durante este ano na Comissão. Quando questionado sobre sua opinião quanto a questões como o casamento gay, o parlamentar afirmou que o assunto é "complexo" e precisa ser dabetido com mais profundidade.
 
"Pessoalmente, por convicção, não que eu seja contrário, mas não tenho posição a favor e não me oponho à relação homoafetiva. Quanto ao casamento [gay], é complexo. Não tem como ter posição porque são várias nuances. Eu preciso aprofundar o tema. É complexo, mas terá que ser discutido [...] A comunidade LGBT, que não teve em 2013 espaço na comissão, será ouvida, ainda que por princípio eu discorde de alguns pontos", disse.
 
Couto assumiu a presidência da Comissão de Direitos Humanos no último dia 26/02. 
 
Durante o período em que Feliciano esteve à frente da comissão, foi aprovada uma proposta que susta os efeitos de resolução do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) de proibir a cartórios negar pedidos de casamento entre pessoas do mesmo sexo. 
 
Outro texto aprovado durante a presidência de Feliciano foi o de autorização para que psicólogos orientem homossexuais que desejam mudar sua conduta.
 
Aborto
Outro questionamento colocado por jornalistas no dia em que Couto foi eleito presidente da CDMH foi em relação ao aborto.
 
O parlamentar afirmou que pessoalmente é contra o aborto, mas destacou que o assunto merece ser discutido no colegiado e que se trata de uma questão de "saúde pública".
 
Gratidão
Em seu perfil oficial do Twitter, Marco Feliciano agradeceu a todos que o apoiaram durante sua gestão na CDMH. O parlamentar cristão destacou que continua membro da Comissão e que deixa a presidência com a sensação de dever cumprido.
 
"Quero agradecer a todos que de alguma maneira estiveram acompanhando meu trabalho a frente da CDHM. Fiquei até o fim, missão cumprida. Saio fortalecido, experiente e de cabeça erguida. Até os adversários me cumprimentaram dizendo, seu equilíbrio fez a diferença. Agradeço as orações. Também agradeço aos adversários, sem eles meu nome não seria soprado. O que seria de Davi sem Golias? 1 ilustre desconhecido continuo membro da CDHM, bem como da CCJC e da comissão de Educação. Temos pela frente o PNE e a comissão especial sobre a prostituição", postou.
 
Com informações do G1

veja também