Trocar a aprovação de Deus pela opinião das pessoas é um erro nas redes sociais, diz escritora

Kari Kampakis faz um alerta sobre o mau uso das redes sociais e como isso pode deixar os adolescentes obcecados pela fama.

fonte: Guiame, com informações do Bible Gateway

Atualizado: Terça-feira, 21 Fevereiro de 2017 as 3:28

Kari Kampakis comenta sobre como a Palavra de Deus pode ser incorporada no uso das redes sociais. (Foto: Divulgação).
Kari Kampakis comenta sobre como a Palavra de Deus pode ser incorporada no uso das redes sociais. (Foto: Divulgação).

Você prefere ser amado na internet ou pessoalmente? A mídia social pode ser extremamente atrativa, mas para adolescentes que crescem em uma geração saturada dessas redes, ganhar um “Like” no facebook, ou obter comentários em um post pode se tornar uma obsessão. Em uma entrevista para o site Bible Gateway, a autora cristã Kari Kampakis falou sobre o assunto que é abordado em seu livro: “Liked: Whose Approval Are You Living For?” (Like: Você está vivendo para ser aprovado por quem?, em tradução livre).

Ela explicou sobre os problemas que a obsessão pelas redes sociais pode causar nas pessoas. “Eu costumo citar quatro pontos principais: identidade, mídia social, amizade e fé. Eu mergulhei nesses aspectos porque eles são tão relevantes para as vidas dos adolescentes. Meu objetivo é ajudar os adolescentes a sintonizarem a voz tranquila de Deus dentro deles contra o megafone da opinião pública, e que elas possam confiar em Cristo para tomar decisões, entender seu valor e procurar quem são verdadeiramente”, contou.

Lado positivo e lado negativo

A autora foi questionada sobre como as mídias sociais podem ser tão prejudiciais para adolescentes. Ela explica que a maioria das coisas nas redes sociais têm um lado positivo e um lado negativo. “Essas ferramentas podem ser usadas para o bem - para espalhar positividade e esperança - ou podem ser usadas de maneira narcisista ou prejudicial”, ressalta.

“No mundo de hoje, as mídias sociais são muitas vezes vistas como uma forma de se tornarem famosos, de chamar atenção. Não importa o que você postar, desde que você atraia uma grande audiência e obtenha toneladas de ‘likes’. As garotas que compram essa ideia, acabam fazendo escolhas ruins e dão às mídias sociais um poder que elas não merecem: o poder de ditar seu valor baseado nas opiniões passageiras das pessoas e não nas verdades eternas de Deus”, pontuou.

“Isso pode ser especialmente prejudicial para adolescentes porque estão descobrindo sua identidade. Eles não estão firmes sobre o que eles são ainda, e se eles dependerem do mundo para moldá-los e defini-los, eles vão acabar desiludidos e decepcionados. É por isso que eu sou apaixonada por ajudar meninas a encontrar sua identidade em Cristo e coisas com valor eterno, porque é isso que leva suas vidas em uma direção significativa”, coloca.

Bíblia versus Redes Sociais

Kari Kampakis ainda comenta sobre como a Palavra de Deus pode ser incorporada no uso das redes sociais. “A melhor maneira de se incorporar a Bíblia nas redes sociais é escolhendo uma meta que agrada a Deus. Um versículo que eu gosto é Filipenses 4: 8, que diz: ‘Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai’”.

“Este verso é um ótimo filtro para a mídia social. É um lembrete de que Deus é encontrado no bem. Postando coisas que refletem a luz de Cristo, você honra a Deus e potencialmente inspira outras pessoas a fazer o mesmo.

veja também