Vídeo mostra Katy Perry quando era cantora gospel

Aos 16 anos, conhecida como Kate Hudson, a cantora pop lançou seu primeiro álbum gospel em 2001

fonte: Guiame

Atualizado: Segunda-feira, 1 Setembro de 2014 as 10:01

Um vídeo publicado na internet na última semana mostra os bastidores de um show gospel de Katy Perry, quando tinha 16 anos e era cristã. As imagens são de 2001, quando a cantora era conhecida por seu nome de batismo, Kate Hudson e lançava seu primeiro álbum com seu nome no título.

No vídeo, Kate fala sobre os trechos de sua apresentação. Com seu estilo descontraído, mostra seu motorhome bagunçado, fala sobre como foi repetir a nona série no ano anterior e da maquiagem como disfarce para sua “cara de pizza”. O vídeo foi gravado por Jim Standrige, que acompanhava a cantora.

 

De filha de pastores à ícone do pop

Katy Perry é filha de pastores. Logo que Katy ficou famosa cantando a música I Kissed a Girsl (and Liked it) [Eu beijei uma garota e gostei], sua mãe, Mary, chegou a dizer que “a música promove a homossexualidade e sua mensagem é vergonhosa e nojenta”.

Seu pai, o pastor Keith, declarou: “As pessoas me perguntam como posso pregar, se eu tenho uma filha que canta sobre beijar outra garota?” Em seguida disparou que ela é “filha do diabo” e que precisa de orações para que possa ser curada.

Em uma entrevista à revista Marie Claire, Katy Perry admite pela primeira vez que não se identifica mais com o cristianismo. “Eu não acredito no céu ou no inferno, nem em um velho sentado em um trono. Eu acredito em um poder superior, algo maior do que eu”. A cantora ainda afirmou que ainda que tenha parado de ir à igreja, mantém uma conexão com Deus. “Eu não sou budista, não sou hindu, eu não sou cristã, mas ainda sinto que tenho uma conexão profunda com Deus e por isso oro o tempo todo. Para ter o autocontrole, para continuar humilde… dizer ‘muito obrigado’ às vezes é melhor do que pedir coisas”.

Embora seus pais, Keith e Mary Hudson, já terem criticado a filha famosa por diversas vezes, Katy Perry afirmou à revista Marie Claire: “As pessoas não entendem que eu tenho um ótimo relacionamento com meus pais… Não há qualquer julgamento. Eles não concordam necessariamente com tudo o que faço, mas eu não concordo necessariamente com tudo o que eles fazem. Eles ainda oram por mim”.

 

Assista:

Com informações de UOL e The Christian Post

veja também