25 cristãos assírios são libertos de cativeiro do Estado Islâmico: "Presente de Natal"

O Estado Islâmico já liberou mais de 135 reféns no total, e prosseguem as negociações para garantir a liberdade dos que permanecem. Acredita-se que este o número ainda seja de 105 pessoas.

fonte: Guiame, com informações do Christian Today

Atualizado: Sexta-feira, 25 Dezembro de 2015 as 6:47

Os reféns estavam entre um grupo maior, de mais de 200 pessoas raptadas de aldeias ao longo do rio Khabour, no norte da Síria, no início deste ano. (Foto: ACERO)
Os reféns estavam entre um grupo maior, de mais de 200 pessoas raptadas de aldeias ao longo do rio Khabour, no norte da Síria, no início deste ano. (Foto: ACERO)

Mais de duas dezenas de cristãos assírios foram liberados pelo Estado Islâmico nesta sexta-feira (25). O fato tem sido chamado por um grupo cristão que trabalha na região, de "presente de Natal glorioso".

A Igreja Assíria do Oriente, na Síria confirmou a libertação de 25 cristãos que foram mantidos reféns por militantes Estado Islâmico desde fevereiro. O grupo, formado por dois homens, sete mulheres e 16 crianças com idades entre dois e 11 anos e foi recebido pelo bispo da Síria e pelo presidente da Igreja Assíria do Oriente (ACERO), e pelo presidente da missão His Grace, Mar Afram Athneil.

"Neste dia santo que celebramos o nascimento do Nosso Senhor, elevamos a honra e o louvor a Deus, Todo-Poderoso por ter ouvido nossas orações e nos abençoado com este milagre de Natal", disse a ACERO disse em um comunicado divulgado hoje.

Os reféns estavam entre um grupo maior, de mais de 200 pessoas raptadas de aldeias ao longo do rio Khabour, no norte da Síria, no início deste ano (2015).

O Estado Islâmico já liberou mais de 135 reféns no total, e prosseguem as negociações para garantir a liberdade dos que permanecem. Acredita-se que este o número ainda seja de 105 pessoas.

Um grupo que está promovendo uma campanha em favor das minorias no Oriente Médio, chamado "A Demand for Action" ("Uma Demanda por Ação"), anteriormente disse ao 'Christian Today' que a Igreja está trabalhando "dia e noite para garantir que todos sejam levados de volta às suas famílias com segurança".

"Nós continuamos a investir todos os nossos recursos e esforços durante esta temporada santa [Natal] para buscar a segurança e a liberdade de todos os reféns", disse a Igreja hoje.

"Nós não cessaremos até que eles sejam devolvidos às suas famílias".

Em outubro, terroristas divulgaram um vídeo mostrando a execução de três dos reféns e ameaçaram assassinar aqueles que ainda estão em cativeiro se um único dólar do milhões exigidos não fosse pago.

Inicialmente, o Estado Islâmico exigiu uma taxa de resgate de cerca de 100 mil dólares por refém, totalizando $23 milhões. Quando ficou claro que a comunidade assíria não poderia pagar esta quantia, o montante foi reduzido para entre $14 milhões.

veja também