Americanos criam grupo de estudo bíblico acompanhados de maconha: "Traz clareza de pensamento"

Tendo início com apenas dois membros, o "Stoner Jesus Bible Study" hoje faz parte da rotina de outras pessoas, incluindo um mórmon, um católico e um ateu.

fonte: Guiame, com informações de Christian Today

Atualizado: Terça-feira, 8 Dezembro de 2015 as 5:37

O grupo se reúne para compartilhar alguns ensinos das Escrituras Sagradas enquanto fumam cigarros de maconha. (Foto: Stoner Jesus Bible Study)
O grupo se reúne para compartilhar alguns ensinos das Escrituras Sagradas enquanto fumam cigarros de maconha. (Foto: Stoner Jesus Bible Study)
Um grupo de norte-americanos criou um método blasfemo de estudo bíblico chamado "Stoner Jesus Bible Study" ("Estudo da Bíblia Jesus Maconheiro", em tradução livre). Como o próprio nome indica, o grupo se reúne para compartilhar alguns ensinos das Escrituras Sagradas enquanto fumam cigarros de maconha.
 
De acordo com o site Christian News, Deb Button formou o grupo depois que o estado de Colorado legalizou o uso da maconha recreativa. Ela conta que de publicar sua ideia junto com um convite em uma rede social de anúncios chamada Craigslist, Deb conseguiu seu primeiro "fiel". 

O site do grupo convida as pessoas a uma mensagem atraente: "venha como você é." Button e seus amigos afirmam que o grupo cria um ambiente seguro e acolhedor para as pessoas que têm interesses diferentes, como eles.

"Muitas pessoas têm sede de conexão espiritual, que está faltando no ambiente de igreja tradicional, e o nosso objetivo é aprender com a sabedoria de Sua Palavra e ensinamentos. E sim, a maconha é bem-vinda, pois ela pode trazer clareza de pensamento e um senso de conexão que, muitas vezes, só encontramos em um pequeno grupo de colegas maconheiros", afirma a jovem.

Tendo início com apenas dois membros, o "Stoner Jesus Bible Study" hoje faz parte da rotina de outras pessoas, incluindo um mórmon, um católico e um ateu, de acordo com o site New York Magazine.

Nos Estados Unidos, tratar a maconha como parte de uma prática religiosa já se tornou uma prática oficial. A Primeira Igreja da Cannabis foi aprovada e reconhecida como uma corporação religiosa em junho pelo secretário do Estado de Indiana Connie Lawson.

O fundador da igreja, Bill Levin, entrou com o pedido ao enxergar uma oportunidade na nova lei de Restauração da Liberdade Religiosa, aprovada pelo governador de Indiana Mike Pence, na última quinta-feira (28). A intenção declarada de Levin era a de "iniciar uma igreja baseada no amor, compreensão e compaixão com todos."

A maconha é a principal porta de entrada para outras drogas, assegura a psicóloga cristã Marisa Lobo, pós-graduada em saúde mental, especializada em dependência química, transtornos mentais e programas terapêuticos.

Representante da campanha "Maconha Não", a especialista afirma que o uso da maconha pode incentivar "o viciado buscar outras drogas mais potentes, além de sua interação com outras drogas, como o álcool, por exemplo que é um dos principais riscos a saúde física, mental e social".

veja também