Após ataque de tubarões, Mick Fanning agradece: 'Não sou muito religioso, mas sei que tinha alguém olhando por mim'

"Foi difícil dormir. Vi as imagens e enlouqueci com tudo o que aconteceu. Tive sorte. Não sou um cara muito religioso, mas sei que tinha alguém olhando por mim naquele momento", contou Mick.

fonte: Guiame, com informações de Globo Esporte

Atualizado: Segunda-feira, 20 Julho de 2015 as 6:02

 


Momento em que tubarão se aproxima de Mick Fanning durante final da etapa de Jeffreys Bay. (Foto: Divulgação/WSL)


A imagem de um surfista sendo atacado por dois tubarões em pleno campeonato foi uma das mais comentadas neste final de semana. Nesta segunda-feira (20), um dia depois do susto em Jeffreys Bay, na África do Sul, o australiano Mick Fanning voltou à praia.

O tricampeão mundial foi surpreendido pelos tubarões quando esperava por uma onda. Ele trocou socos e milagrosamente escapou ileso, sem nenhum arranhão graças ao seu rápido reflexo, ao trabalho das equipes de salvamento, e ainda que ele não entenda – graças a Deus.

"Foi difícil dormir. Vi as imagens e enlouqueci com tudo o que aconteceu. Tive sorte. Não sou um cara muito religioso, mas sei que tinha alguém olhando por mim naquele momento", contou Mick. 

A etapa final do Circuito Mundial, onde o surfista atacado competiu contra o australiano Julian Wilson, foi suspensa e os dois terminaram em segundo lugar. Apesar do susto, Fanning garantiu que iria retornar para a etapa no ano que vem. 

Na praia onde aconteceu o ataque, o australiano agradeceu pelas mensagens de apoio e pelo carinho. Ganhou abraços de amigos e torcedores e contou que se surpreendeu com a visita do surfista cristão Adriano de Souza, o Mineirinho, na noite do incidente. 

Por conta do incidente em Jeffreys Bay, a Liga Mundial de Surfe (WSL) estuda medidas para garantir a segurança dos atletas, como o sistema de "shark shield", tecnologia que afasta tubarões e teve 90% dos testes aprovados.

Assista o momento do ataque:

veja também