Ataque terrorista deixa 3 mortos e 7 pessoas feridas, em Israel

Ezra Schwartz era um jovem norte-americano, de 18 anos de idade, que passava um ano sabático em Israel e foi uma das três vítimas mortais de um ataque terrorista no final da tarde da última quinta-feira próximo a Gush Etzion, na Cisjordânia.

fonte: Guiame, com informações do Jerusalem Post

Atualizado: Sexta-feira, 20 Novembro de 2015 as 9:19

A Liga Anti-Difamação (organização dedicada ao combate ao anti-semitismo) emitiu um comunicado, classificando esta quinta-feira (19), como "o dia mais sangrento em Israel uma vez que esta última rodada de violência palestina começou em setembro", em razão dos ataques terroristas nas cidades de Tel Aviv (capital) e Gush Etzion.

"A violência em curso é a dura realidade do terrorismo em Israel atualmente, enquanto judeus são brutalmente atacados durante suas orações, quando estão dirigindo pelas estradas, andando nas ruas ou em outros momentos do cotidiano", disse ADL CEO Jonathan Greenblatt em um comunicado.

A declaração também fez ligações entre a recente onda de ataques terroristas internacionais, realizados pelo Estado Islâmico, dizendo que "enquanto há diferenças entre essa onda de terror em Israel e os ataques em grande escala, realizados por extremistas islâmicos em lugares como Paris, Beirute e no Sinai, ambos tendo como autores, indivíduos que são motivados por ódio puro e intolerância para prejudicar pessoas inocentes. Dogmatismo, anti-semitismo e preconceito são claramente a origem desta onda horrível de violência".

A declaração criticou o governo palestino e meios para a sua incitação contínua e recusa em condenar os ataques terroristas que assolam Israel nos últimos meses.

"Se o presidente Abbas realmente quer reprimir a violência palestina, ele deve fazê-lo, tanto em ação, como em palavras", diz o texto.

"Nós expressamos nossas mais profundas condolências a todas as vítimas, incluindo a família de de Ezra Schwartz, de 18 anos de idade, que tragicamente perdeu a vida hoje", conclui o comunicado.


Vítimas
Ezra Schwartz era um jovem norte-americano, de 18 anos de idade, que passava um ano sabático em Israel e foi uma das três vítimas mortais de um ataque terrorista no final da tarde da última quinta-feira próximo a Gush Etzion, na Cisjordânia. Sete outras pessoas ficaram feridas no ataque.

O jovem estava em uma van com cinco outros amigos do yeshiva Beit Shemesh, onde estudou. Eles haviam se deslocado para a região para distribuir comida para os soldados estacionados na região.

Um palestino que vinha a partir da direção de Kfar Etzion atirou contra o carro, com um rifle automático. As forças de segurança cercaram o terrorista e o prenderam.

Os paramédicos confirmaram que Schwartz morreu ainda no local do incidente. Seus cinco amigos foram evacuados para o Centro Médico Shaare Zedek, em Jerusalém, três foram tratados por ferimentos leves e dois em estado grave. Todos eles foram liberados.

Outra vítima do ataque, Shadi palestino Arafeh, de 24 anos de idade, de Hebron, também foi declarado morto na cena do crime.

Yaakov Don, de 51 anos, que era professor e pai de quatro filhos que viviam no assentamento de Alon Shvut, nas proximidades, também foi evacuado para Hadassah Medical Center em estado grave e foi declarado morto após sua chegada ao hospital.

Os Estados Unidos disseram que consideraram o ataque como um ato de terrorismo.

"Condenamos esses ataques terroristas contra civis inocentes nos termos mais fortes possíveis", disse Edgar Vasquez, um porta-voz do Departamento de Estado ao jornal 'Jerusalem Post'.

"Como já deixamos claro, continuamos profundamente preocupados com a situação", disse ele, "e continuamos a instar todas as partes a tomarem medidas afirmativas para restaurar a calma e evitar que ações que possam escalar ainda mais as tensões".

Mais cedo, na quinta-feira, um terrorista palestino esfaqueou três pessoas no sul de Tel Aviv, matando dois deles e ferindo outro.

A polícia disse que o terrorista tentou fugir do local, mas foi detido por civis, que o subjugaram até que as forças policiais chegaram ao local. O suspeito foi preso e levado para interrogatório.

veja também