Boko Haram invade vilas e mata 16 pessoas em noite de Natal

Os terroristas invadiram vilas e incendiaram casas, matando 16 pessoas - entre adultos e crianças - na Nigéria. Apesar das ameaças extremistas, muitos cristãos permanecem firmes e continuam frequentando os cultos em suas igrejas.

fonte: Guiame, com informações do Christian Post

Atualizado: Segunda-feira, 28 Dezembro de 2015 as 10:55

O Grupo extremista islâmico Boko Haram matou 16 pessoas, incluindo crianças, em um ataque a uma aldeia nigeriana, na semana passada, continuando sua longa história de massacres no dia de Natal.

O jornal 'Nigerian THISDAY' reportou que os terroristas invadiram a aldeia de Kimba, na área do governo local do Biu, localizado ao sul do estado de Borno - o qual os rebeldes ainda controlam.

Os militantes invadiram a aldeia na última sexta-feira à noite, incendiando casas e lojas e sequestrando outras seis pessoas.

Não houve informações imediatas sobre quantas crianças estavam entre os 16 mortos.

AFP acrescentou que centenas de moradores fugiram para Kimba BIU nas proximidades, onde foram colocados em um campo de refugiados que já está cheio de pessoas que fugiram de Boko Haram.

"Os homens armados mataram pessoas e queimaram toda a aldeia antes que os moradores pudessem fugir", disse Mustapha Karimbe, identificado como um civil, que está ajudando os militares em sua campanha contra a Boko Haram.

"Nem uma única casa foi poupada neste incêndio criminoso", acrescentou Musa Suleiman, outro vigilante.

O Boko Haram tem travado uma guerra contra o governo nigeriano para quase seis anos, matando mais de 20.000 pessoas em suas várias invasões de aldeias, tiroteios e atentados suicidas.

Os terroristas islâmicos - especialmente focados em cristãos - que compõem cerca de metade da nação, afirmaram que eles querem tirar todos os cristãos do país.

O grupo terrorista, que prometeu lealdade ao Estado Islâmico no Iraque e na Síria, vem atacando igrejas e casas de no dia de Natal há vários anos.

Um dos mais mortais massacres do dia de Natal ocorreu em 2011, quando o grupo militante matou 37 pessoas no bombardeio da Igreja Católica de St. Theresa, em Madalla, nos arredores de Abuja.

Muitos dos cristãos nigerianos permanecem firmes, apesar dos constantes ataques contra eles e continuam participando das missas e cultos em suas igrejas, apesar da ameaça extremista.

O presidente Muhammadu Buhari prometeu erradicar o grupo terrorista do país, embora o prazo que ele definiu no início do ano para realizar a missão (até dezembro de 2015) já tenha vencido.

O Comodoro Yusuf Anas, do Centro de Comunicação de Crises admitiu no final de novembro: "O prazo sobre quando iríamos deter os insurgentes que estão detonando bombas em alvos fáceis em qualquer parte do país, especialmente nos estados da linha de frente não pode ser mais cumprido".

Na semana passada, o Fundo das Nações Unidas informou que as crianças sofreram muito, devido aos conflitos em curso, com até 1 milhão de jovens sendo forçados a sair das escolas, especificamente devido a Boko Haram.

"Em toda a Nigéria, Camarões, Chade e Níger, mais de 2.000 escolas permanecem fechadas devido ao conflito - alguns deles por mais de um ano - e centenas foram atacadas, saqueadas ou incendiadas", disse A UNICEF em seu relatório. "No extremo norte dos Camarões, apenas uma das 135 escolas fechadas em 2014 foi reaberta este ano".

veja também