‘A Cabana’ foi o filme mais assistido no Brasil, em sua semana de estreia

O filme já atingiu a melhor média de público por sala nos cinemas brasileiros e vendeu mais de 800 mil ingressos.

fonte: Guiame, Luana Novaes

Atualizado: Quinta-feira, 13 Abril de 2017 as 3

O filme já atingiu a melhor média de público por sala nos cinemas brasileiros. (Foto: Divulgação)
O filme já atingiu a melhor média de público por sala nos cinemas brasileiros. (Foto: Divulgação)

Em sua semana de estreia, o filme “A Cabana” já atingiu a melhor média de público por sala nos cinemas brasileiros. Segundo análise do portal Filme B, já foram vendidos mais de 800 mil ingressos para o longa.

Responsável por impulsionar o cinema cristão no Brasil, Ygor Siqueira, diretor da 360WayUp, atribui o sucesso de A Cabana a um conjunto de fatores positivos.

“Primeiro, a história vem de um best-seller que vendeu 4 milhões de cópias no Brasil. Segundo, tem uma produção de excelente qualidade e um ótimo elenco. Terceiro, teve uma forte distribuição feita pela Paris Filmes no meio cinematográfico em parceria com a 360WayUp, que fez um trabalho direcionado para o público cristão”, disse ele em entrevista ao Guiame.

O longa apresenta a jornada espiritual de Mack Phillips (Sam Worthington), um pai que entra em profunda depressão depois de sofrer uma tragédia familiar, questionando suas crenças mais íntimas. Diante de uma crise de fé, ele recebe uma carta misteriosa que o convida para ir a uma cabana abandonada no deserto de Oregon, nos Estados Unidos.

Apesar das suas dúvidas, Mack vai à cabana e encontra um enigmático grupo de estranhos liderados por uma mulher chamada Papa (Octavia Spencer). Por meio deste encontro, ele encontra verdades significativas que irão transformar o seu entendimento sobre a tragédia que abalou sua família e sua vida mudará para sempre.

Embora alguns cristãos tenham resistido à proposta do filme por seu conteúdo teológico, Siqueira garante que a mensagem apresentada na trama tem suavizado as críticas.

“O filme tem muito conteúdo bíblico, tem muitos ensinamentos. Temos que considerar que o filme é uma ficção e tem liberdade poética. Eu não senti tantas críticas, eu esperava até mais. Muitos líderes estão falando bem e isso acaba ajudando no resultado”, ele afirma.

Além do portal Filme B e da Agência Nacional do Cinema, as bilheterias de cinema no Brasil também são compiladas pela multinacional Rentrak.

veja também