Capelão protege família estrangeira durante tumulto e fotos viralizam na internet

"Foi um momento no qual eu vi que algo precisava ser feito, porque esta família não precisava estar lá, mas eu estava lá", disse o capelão britânico Paul Sanderson, que se arriscou para proteger uma mãe desconhecida e seu filho.

fonte: Guiame, com informações do Christian Today

Atualizado: Quarta-feira, 11 Maio de 2016 as 2:20

Imagem registrou momento em que Paul Sanderson (à direita) e outro homem ajudaram mãe e filho a fugir do tumulto gerado por torcedores antes de um jogo de futebol na Inglaterra. (Foto: Reuters)
Imagem registrou momento em que Paul Sanderson (à direita) e outro homem ajudaram mãe e filho a fugir do tumulto gerado por torcedores antes de um jogo de futebol na Inglaterra. (Foto: Reuters)

Um capelão britânico está sendo chamado de "Bom Samaritano", devido fotos nas quais ele aparece ajudando uma mãe e seu filho a fugir de uma zona de conflito, nas proximidades de um estádio de futebol na região leste de Londres. As imagens dominaram os sites de notícias e as redes sociais do Reino Unido na última terça-feira (10) à noite.

Paul Sanderson, que é capelão da Academia Littlehampton, em West Sussex e um ex-líder de jovens foram fotografados, enquanto ajudavam no resgate de dois estrangeiros - mãe e filho - durante uma onda de violência, iniciada por torcedores de futebol, nas proximidades do estádio Upton Park.

O capelão estava junto com outros torcedores, se preparando para assistir ao jogo West Ham United X Manchester United para a Liga Premier.

Paul disse ao site Christian Today que ele e seu filho tinha chegado mais cedo ao estádio, com a intenção de "sentir o clima pré-jogo".

"O meu filho e eu tínhamos um ingressos para toda a temporada e fomos para o jogo, mais cedo", disse ele. "Nós fomos para onde algumas multidões se reuniam. O clima era agradável, as pessoas estavam soprando bolhas, uma boa movimentação".

Porém, segundo o capelão, a atmosfera se transformou, quando o primeiro ônibus do West Ham foi avistado pelos torcedores.

"De repente, percebemos que não havia polícia por perto. Eu pensei comigo mesmo: 'Você sabia que isso ia acontecer'. Por que não há polícia?", relatou.

"Havia um monte de pessoas em todo o nosso ônibus, era uma vibração boa, mas então eu pude sentir que as coisas mudaram, com as pessoas dizendo 'United está chegando agora, vamos fazer alguma coisa", contou. "Fomos apanhados no meio disto e eu comecei a ficar no nervoso".

Alguns torcedores começaram a atacar o ônibus do Manchester United, inclusive com garrafas de vidro. De repente Sanderson notou que uma mãe e seu filho acabaram de alguma, ficando no meio de "fogo cruzado".

"Eu pude ver famílias tentando atravessar a pista para se afastar do conflito", disse ele, "e esta senhora estava lá com seu filho. Ele [garoto] estava visivelmente com medo e chorando. Ele começou a ter um ataque de pânico. Então eu me aproximei e comecei a conversar com ele, tentando acalmá-lo".

"Percebi que não estávamos seguros naquele local, então eu pedi ao meu filho e um duas outras duas pessoas: 'vamos colocar nossos braços ao redor deles'. Antes nós - eu e esses outros homens - sermos atingidos por estilhaços de vidro do que essa mãe com seu filho. Eu não sei quem eles eram, mas acabei conduzindo-os para fora daquele caos. Acabamos andando para um local mais vazio, entre o batalhão de choque e o caos, em uma estrada lateral. Assim eles puderam ficar em segurança".

Quando questionado sobre a razão pela qual ele se colocou em uma situação perigosa, Sanderson simplesmente disse: "Ela [mãe] não precisava estar lá, mas eu estava lá. Eu olhei em volta e pensei: 'isso não está certo, isso não é bom'. Foi um momento no qual eu vi que algo precisava ser feito, porque esta família não precisava estar lá".

Uma fotografia de Sanderson e o outro torcedor, ajudando a mãe e seu filho (ainda não identificados) tornou-se a imagem mais acessada da noite.

Segundo relatos, ninguém ficou gravemente ferido, mas as principais questões agora serão as solicitações dos clubes de futebol envolvidos, os fãs e as investigações da polícia.

veja também