Cientistas irão digitalizar os Manuscritos originais do Mar Morto

Entre os 225 textos bíblicos contidos nesse grupo de manuscritos, está o mais antigo exemplar dos Dez Mandamentos.

fonte: Guiame, com informações do Daily Mail

Atualizado: Terça-feira, 29 Março de 2016 as 5:28

Novas ferramentas tecnológicas estão sendo desenvolvidas para ajudar neste trabalhoso processo de juntar cada fragmento dos pergaminhos, deteriorados pela ação do tempo. (Foto: Daily Mail)
Novas ferramentas tecnológicas estão sendo desenvolvidas para ajudar neste trabalhoso processo de juntar cada fragmento dos pergaminhos, deteriorados pela ação do tempo. (Foto: Daily Mail)

Eles estão entre os documentos históricos e religiosos mais importantes já descobertos, dando uma visão rara e detalhada sobre os tempos bíblicos. Mas muitos dos Manuscritos do Mar Morto, descobertos em uma em cavernas no deserto na Cisjordânia em Israel, foram reduzidos a pouco mais do que fragmentos frágeis de pergaminhos e papiros.

Um novo projeto para preservar os documentos antigos com tecnologia digital deve concretizar o trabalhoso processo de combinar os pequenos pedaços desses pergaminhos, remontando os manuscritos originais.

Quase 2.000 anos depois que eles foram escritos, os milhares de pequenos fragmentos dos Rolos do Mar Morto estão sendo digitalizados, utilizando imagens de alta resolução.

Ferramentas digitais avançadas também estão sendo desenvolvidas para sugerir novas formas de unir estes pequenos pedaços, procurando por conexões entre imagens, textos e jogos entre as peças dos fragmentos, como em um tipo de quebra-cabeça. As páginas remontadas serão expostas em um novo site, no qual internautas poderão acessar os documentos históricos.

O projeto também ajudará na tentativa de traduzir os pergaminhos, enquanto eles são montados em conjunto, ajudando os pesquisadores a desvendar os diversos segredos neles contidos.

Especialistas estimam que cerca de 20.000 fragmentos de pergaminhos estão sendo digitalizados como parte desse projeto, mas pode haver muitos mais.

Falando ao site 'MailOnline', o curador e diretor do Projeto Manuscritos do Mar Morto e Autoridade de Antiguidades de Israel, Dr Pnina Shor, informou: "Nós já trabalhamos com cerca de 16.000 fragmentos, usando a tecnologia de imagem mais recente, mas ainda temos milhares de outros pedaços para analisar".

"Enquanto os pergaminhos mais longos que temos têm cerca de 11 metros de comprimento, os menores têm menos de um cm². Alguns são realmente muito pequenos, no entanto, esses fragmentos muito pequenos podem ser os mais importantes, já que eles trazem textos que ainda são desconhecidos".

Shor destacou que novas ferramentas ainda estão sendo desenvolvidas pra ajudar neste processo.

"Os cientistas envolvidos neste projeto estão desenvolvendo ferramentas para juntar esses fragmentos. É o quebra-cabeça final".

Pergaminhos do Mar Morto foram descobertos pela primeira vez em uma conjunto de cavernas remotas, perto do antigo povoado de Khirbet Qumran, a cerca de 1.9km do interior, partindo da costa noroeste do Mar Morto.

Pelo menos, 981 textos manuscritos em hebraico foram descobertos e acredita-se que tenham sido escritos entre o ano 300 aC e o primeiro século dC.

Entre os pergaminhos são os 225 textos bíblicos, que são alguns dos mais antigos textos sobreviventes da Bíblia hebraica.
Outros textos forneceram insights sobre a vida no momento e acontecimentos históricos.

O projeto tem um prazo de cinco anos para ser concluído.


Ciência e fé
A Arqueologia tem contribuído cada vez mais para comprovar cientificamente a veracidade de fatos bíblicos. Recentemente, um cientista cristão celebrou a descoberta de um antigo selo, usado pelo Rei Ezequias nos tempos do Antigo Testamento.

"Esta incrível descoberta confirma a Palavra de Deus mais uma vez. Não é animador ser um cristão e ver como a ciência está constantemente confirmando a verdade da Palavra de Deus?", comentou o norte-americano Ken Ham.

veja também