Com o apoio dos Estados Unidos, exército afegão enfrenta Talibã para recuperar cidade

fonte: Guiame, com informações do Christian Today

Atualizado: Quarta-feira, 30 Setembro de 2015 as 12:58

Soldados do exército afegão (Foto: Reuters)
Soldados do exército afegão (Foto: Reuters)

Intensos combates se alastraram dentro da cidade afegã de Kunduz (região norte) pelo terceiro dia consecutivo nesta quarta-feira (30), enquanto as forças do governo - apoiadas por ataques aéreos dos Estados Unidos - lutaram contra os insurgentes do Talibã, que tiveram uma de suas maiores conquistas em 14 anos de guerra.

Os combatentes talibãs tomaram o controle de Kunduz após encenar um assalto audacioso na cidade, na última segunda-feira (28). Este pode ter sido o maior revés do presidente afegão Ashraf Ghani desde que tomou posse há um ano e o pior ataque desde que as tropas estrangeiras deixaram a região, no final do ano passado.

Kunduz foi a última grande cidade a cair, quando as forças afegãs apoiadas pelos EUA derrubaram o governo Talibã no final de 2001. A ação militar norte-americana foi uma resposta aos ataques de 11 de setembro nos Estados Unidos, que foram planejados pelo então líder da Al Qaeda, Osama bin Laden, enquanto ele estava escondido no Afeganistão.

Esta também se tornou a primeira grande cidade a ser retomada pelos insurgentes islâmicos desde então.

Segundo o porta-voz do chefe de polícia de Kunduz, Sayed Sarwar Hussaini, as tropas estrangeiras correram para auxiliar as tropas afegãs tanto por terra como nos ataques aéreos, após a meia-noite e que tinham recuperado o controle da sede da polícia em Kunduz.

"Centenas de talibãs estão mortos e seus corpos estão nas ruas... agora uma guerra pesada está acontecendo dentro da cidade", disse Hussaini à Reuters por telefone.

A Agência de Inteligência do Afeganistão disse em um comunicado divulgado na noite da última terça-feira que um ataque aéreo matou Mawlawi Salam, um dos principais líderes do Talibã - responsável por tomar conta da província de Kunduz - e outros 15 na periferia do aeroporto.

Forças de segurança afegãs têm lutado para conter uma insurgência multifacetada desde a maior parte das tropas estrangeiras se retirou. Mesmo que passageira, a tomada de Kunduz pelo Talibã marcou o maior sucesso dos insurgentes islâmicos, desde que o grupo terrorista havia sido derrubado.

Na última terça-feira, os militares dos Estados Unidos realizaram o seu primeiro ataque aéreo desta ação militar em Kunduz.

Mesmo 'infrutífera', a batalha de Kunduz parece dado um novo estímulo aos que anteriormente estariam dispersos, em razão da morte do fundador do Talibã, Mullah Mohammad Omar.

Desde então, o Talibã disse que uma das razões para o ataque a Kunduz era provar o grupo estava unido, após a nomeação de um novo líder, o mulá Akhtar Mansour, que em julho deste ano (2015) irritou muitas figuras-chave da insurgência.

veja também