Cristãos comem cobertores para sobreviver em cerco de terroristas, nas Filipinas

Terroristas vinculados ao Estado Islâmico estão sitiando os cristãos que restam em Marawi, nas Filipinas, proibindo o acesso à água, energia e alimentação.

fonte: Guiame, com informações de Daily Mail

Atualizado: Sexta-feira, 16 Junho de 2017 as 12:19

Mãe segura seu filho em meio ao caos instalado nas Filipinas, após cerco de terroristas. (Foto: Reuters)
Mãe segura seu filho em meio ao caos instalado nas Filipinas, após cerco de terroristas. (Foto: Reuters)

Diante da onda de terrorismo na cidade de Marawi, nas Filipinas, os cristãos estão fugindo para salvar suas vidas de jihadistas vinculados ao Estado Islâmico (EI).

Homens do grupo Maute, que se denomina ser o EI da província Lanao del Sur e têm como alvo os cristãos, invadiram a cidade de Marawi e promoveram violentos combates contra o exército filipino.

Quase toda a população de 200 mil pessoas fugiu depois que os terroristas islâmicos invadiram a cidade de maioria muçulmana em 23 de maio, provocando morte e sequestro de cristãos.

Militares estimam que ainda restam entre 300 e 600 civis presos ou detidos como escudos humanos em bairros ocupados pelos jihadistas.

Os cristãos que estão presos em suas casas não têm fornecimento de água ou eletricidade e muitos estão à beira da inanição, segundo Zia Alonto Adiong, um político filipino que tem gerenciado operações de resgate e socorro.

Adiong revelou que recebeu uma mensagem de texto de uma família que começou a comer seus cobertores para se manterem vivos. “Eles estão correndo o risco porque não têm nenhuma outra opção — ou morrem dentro de casa ou eles morrem saindo”, disse ele a repórteres na segunda-feira (12).

Enquanto alguns buscam meios extremos de sobrevivência, outros conseguiram escapar da cidade usando hijabs emprestadas de vizinhos muçulmanos, ​​para se disfarçarem durante a fuga. Outros ainda escaparam nadando através de um rio, de acordo com trabalhadores humanitários.

Enquanto os terroristas mantêm seu controle sobre partes da cidade, o exército filipino está avançando. Os soldados pretendem tirar os jihadistas da cidade de forma lenta e sistemática, com uma operação pode durar alguns dias ou semanas.

As forças armadas direcionadas pelo presidente filipino Rodrigo Duterte querem destruir as fortalezas dos terroristas, mas, para isso, a cidade também poderá ser arruinada.

veja também