Cristãos indianos protestam contra livro que afirma que 'Jesus era um hindu'

Publicado pela primeira vez em 1946 e escrito por Ganesh Savarkar, o livro 'Christ Parichay' - traduzido para o inglês como 'Jesus era um Tamil Hindu' - afirma Jesus era um brâmane e que o cristianismo 'é apenas uma seita do hinduísmo'. A obra poderá ganhar uma nova edição.

fonte: Guiame, com informações do Christian Today

Atualizado: Quinta-feira, 25 Fevereiro de 2016 as 4:59

Cristãos indianos do Estado de Maharashtra têm protestado contra um livro escrito por um dos fundadores da direita nacionalista hindu, Rashtriya Swayamsevak Sangh (RSS). Na obra, o autor alega Jesus era um hindu.

Publicado pela primeira vez em 1946 e escrito por Ganesh Savarkar, o livro Christ Parichay - traduzido para o inglês como 'Jesus era um Tamil Hindu' - afirma Jesus era um brâmane e que o cristianismo 'é apenas uma seita do hinduísmo'.

A obra diz que o nome verdadeiro de Jesus era Keshav Krishna e que sua língua materna era Tamil. O autor também afirma que ele foi resgatado da cruz pelos essênios e usava ervas medicinais para realizar curas. Segundo a história, ele [Keshav] teria sido levado para Caxemira e passado o resto de sua vida no Himalaia, 'onde o seu túmulo ainda pode ser encontrado'.

O livro foi reeditado por uma companhia baseada em Mumbai e dedicado a propagar o ensino de 'Savarkar e seus irmãos', de acordo com a agência de notícias 'Mid-Day'.

O movimento RSS promove uma ideologia nacionalista hindu, defendida pelo partido BJP, que tem sido responsabilizado por surtos de violência contra os cristãos e pelas leis anti-conversão, que foram aprovadas em vários estados indianos.

Grupos afiliados a este movimento praticam a "reconversão" ou cerimônias "Wapsi ghar", nas quais os cristãos e muçulmanos são "bem-vindos de volta" para a religião hindu. Muitos deles são das comunidades mais pobres e a campanha é altamente controversa, já que os líderes cristãos e muçulmanos argumentam que os membros de suas religiões foram alvo de incentivos financeiros e sociais para aceitar esta "reconversão".

De acordo com as crenças promovidas pelo RSS, todos os índianos são originalmente hindus e as comunidades que praticam diferentes religiões são, em última análise, 'apóstatas'. A reedição do livro de 'Savarkar' tem como objetivo, reforçar este argumento.

A obra atraiu críticas ferozes de cristãos, segundo a agência Mid-Day. O padre Nigel Barrett, porta-voz da Arquidiocese de Bombaim, disse: "Há uma tentativa de reescrever a história e chamar-nos em controvérsias. Mas o cristianismo está bem fundamentado e baseado na pessoa de Jesus, que sem dúvida, foi e é uma pessoa real na história. O RSS é bem-vindo para reivindicar o que quiser, isso não nos afeta. Nossa fé em Jesus é baseado em um encontro pessoal com Cristo".

Dr. Abraham Mathai, Presidente da missão 'Christian Voice' na Índia e ex-vice-presidente da Comissão de Minorias, disse: "O livro é um sinal da alta ignorância do autor. Jesus Cristo nasceu há 2000 anos em Belém e morreu no Calvário. Sim, o cristianismo chegou primeiro à Índia, em vez de o Ocidente, quando Tomé, um dos apóstolos de Jesus veio aqui para pregar. A base deste livro é completamente falsa".

Uma delegação do Conselho Cristão Unido de Maharashtra, liderada pelo Rev. Sanjay Londhe, exigiu que a publicação do livro ser proibida. Londhe questionou que "se Jesus realmente foi um hindu, por que tantas organizações hindus ainda atacam a Igreja".

"Eles não deveriam queimar igrejas e atacam os cristãos", disse o líder.

A oposição do Partido do Congresso questionou o momento do lançamento do livro.

"Parece ser deliberado. Eles querem criar confusão entre as massas indianas. Eles devem parar com isso", disse o porta-voz do partido Sachin Sawant.

veja também