Drag queen se veste de diabo fazendo selfie com Jesus, na Bahia

Embora haja um misto de religiões no ensaio fotográfico intitulado "Drag Religion", apenas a figura de Jesus Cristo foi descaracterizada.

fonte: Guiame, com informações de Correio 24 Horas

Atualizado: Terça-feira, 5 Julho de 2016 as 12:42

Na foto intitulada “A Selfie do Diabo”, Satanás registra uma fotografia de si mesmo enquanto Jesus está caído no chão. (Foto: Ricardo Santiago)
Na foto intitulada “A Selfie do Diabo”, Satanás registra uma fotografia de si mesmo enquanto Jesus está caído no chão. (Foto: Ricardo Santiago)

Enfeitados com batons, cílios e unhas postiças, atores transformistas reproduziram a imagem dos principais ícones religiosos em uma sessão de fotos exibida neste domingo (3), o Burlesque Bar, em Salvador (BA).

O ensaio, registrado pelo fotógrafo Ricardo Santiago, faz parte do concurso Super Talento, que reúne 14 drags queens da capital baiana na disputa pela premiação de R$ 3 mil. A sessão chamada “Drag Religion” foi inspirada em quatro religiões: cristianismo, candomblé, budismo e hinduísmo.

Embora haja um misto de religiões, apenas a figura de Jesus Cristo foi descaracterizada. Na foto intitulada “A Selfie do Diabo”, Satanás registra uma fotografia de si mesmo enquanto Jesus está caído no chão.

A drag Eyshilla Butterfly, que esteve na cena, conta que a foto foi pensada como forma de mostrar sua própria contradição. “Eu sou assim. Tenho, como qualquer pessoa, o lado bom e o lado ruim”, disse em sua apresentação.

O fotógrafo, que segue a linha da Bruxaria Tradicional, alega que as críticas de seu trabalho são fruto do preconceito contra os homossexuais. “As religiões monoteístas não nos abraçam. Elas pregam que os gays não têm direito de ter fé. O desconforto e as críticas vêm do preconceito por sermos homossexuais. Na minha religião buscamos a harmonia com as outras religiões. Seguimos essa filosofia. Acredito que esse discurso de ódio é fruto de um preconceito com a nossa sexualidade”, afirma.

A final do concurso será realizada no dia 18 de setembro, no Teatro do Irdeb. Até lá, as eliminatórias serão feitas todos os domingos no Burlesque Bar.

Vilipêndio religioso

Esta não é a primeira vez que atos considerados vilipendiosos foram usados como parte de performances artísticas.

Em maio, o ator Ari Areia — que já foi até mesmo pregador e líder evangélico de jovens no passado — se apresentou seminu em um dos auditórios da Universidade Federal do Ceará. Em sua performance, ele retirou o próprio sangue das veias e jogou sobre uma imagem de Jesus Cristo crucificado, diante das centenas de espectadores, que até mesmo o aplaudiram.

A apresentação foi duramente criticada por centenas de internautas, com direito a "vomitaço" na postagem, com a denúncia feita por uma página de protesto do Facebook. "Isso é arte???? Pra mim é uma tremenda falta de respeito... Depois querem respeito”, comentou uma usuária da mídia social.

"O problema não é a estátua em si,mas o sentimento de ódio contra o próprio Deus", disse outro internauta.

Em junho de 2015, a transexual Viviany Beleboni se colocou seminua em uma cruz, para "protestar contra a homofobia" e foi duramente criticada, inclusive por membros da bancada evangélica no Congresso.

Um ano depois, Viviany já teve seus pedidos de indenização — contra deputados como o pastor Marco Feliciano e também o senador Magno Malta — negados por dois juízes do Tribunal de Justiça de São Paulo.

veja também