Escolas paquistanesas ensinam que "cristãos são violentos por natureza"

Um estudo patrocinado por um grupo norte-americano de defesa da Liberdade Religiosa alerta que os livros adotados por escolas públicas do Paquistão apontam os cristãos como "nefastos, violentos e tirânicos por natureza".

fonte: Guiame, com informações do Christian Today

Atualizado: Terça-feira, 12 Abril de 2016 as 4:53

Garotas paquistanesas leem livros com versos do Corão em uma 'Madrasa' ou escola religiosa. (Foto: Reuters)
Garotas paquistanesas leem livros com versos do Corão em uma 'Madrasa' ou escola religiosa. (Foto: Reuters)

Livros didáticos no Paquistão estão retratando cristãos paquistaneses como "opressores coloniais", revelando uma narrativa intolerante "profundamente preocupante" para com as minorias religiosas, de acordo com um novo estudo.

"Livros didáticos das escolas públicas do Paquistão trazem um conteúdo profundamente preocupante, que retrata cidadãos não-muçulmanos como estranhos, antipatrióticos e inferiores. [Os livros] estão cheios de erros e apresentam 'fatos' ampla e historicamente disputados como uma verdade absoluta e resolvida", disse Robert George, presidente da Comissão Internacional sobre Liberdade Religiosa nos EUA (USCIRF), que patrocinou o estudo.

O estudo que leva o título "Ensino da Intolerância no Paquistão: preconceito religioso nos livros escolares", analisou materiais de ensino do país e avaliou o conteúdo do viés adotado nos materiais.

"Faltam nesses livros, quaisquer referências aos direitos das minorias religiosas e as suas contribuições positivas para o desenvolvimento do Paquistão", disse George.

"Estes livros infelizmente refletem o estado alarmante liberdade religiosa nos Paquistão, atualmente. O sistema educacional de um país - incluindo os seus livros - deve promover a tolerância religiosa, ao invés de fechar as portas para a cooperação e coexistência".

O relatório concluiu que "o sistema escolar público ainda é fundamentalmente intolerante com relação às minorias religiosas".

As crianças cristãs são ensinadas que "os cristãos aprenderam a tolerância e a bondade do coração dos muçulmanos", enquanto que os hindus são forçados a aprender sobre "conspirações hindus 'contra os muçulmanos".

"A humilhação pública começa em uma idade muito jovem", concluiu o relatório, notando que a grade curricular ensina que as minorias religiosas - em particular cristãos e hindus - são 'nefastos, violentos e tirânicos por natureza".

O relatório também comparou os livros didáticos atuais com aqueles analisados ​​no estudo da USCIRF em 2011, ligando os pontos: Educação e discriminação religiosa no Paquistão.

Constatou-se que algumas das passagens identificadas como tendenciosas no estudo de 2011 tinham sido removidas, mas muitas novas - também tendenciosas e depreciativas - tinham sido adicionadas.

A USCIRF recomendou que o Departamento de Estado dos Estados Unidos designe o Paquistão como um "país de preocupação particular" sob o Ato de Liberdade Religiosa Internacional de 1998, por suas violações "sistemáticas, contínuas e flagrantes" da liberdade religiosa.

O estudo recomenda que os livros deveriam refletir que a liberdade religiosa é uma proteção constitucional, reservada a todos os paquistaneses e que a co-existência pacífica deveria ser reconhecida e incentivada na grade curricular.

veja também