"Esperamos que o ano de 2016 traga paz à Síria", diz líder cristão local

Após ataques terroristas promovido pelo Estado Islâmico às vésperas do ano novo, na cidade síria de Qamishli, igrejas cancelaram seus cultos de virada do ano. Em meio a um derramamento de sangue que já dura anos, líderes cristãos clamam por paz.

fonte: Guiame, com informações do Christian Today

Atualizado: Segunda-feira, 4 Janeiro de 2016 as 9:06

Moradores da cidade, na província de Hasakah, no nordeste da Síria estavam se preparando para celebrar o Ano Novo, quando os terroristas atingiram na última quarta-feira, três restaurantes, matando 16 pessoas e ferindo outras 45.

Pelo menos dois dos ataques foram descritos como atentados suicidas por um porta-voz da milícia curda do YPG, que controla a cidade e que está lutando contra o Estado islâmico.

As igrejas cancelaram celebrações do Ano Novo depois dos ataques. A declaração conjunta das Igrejas da província de Hasakah disse: "Nós dedicamos esta noite para orações pelas vítimas desses ataques. Oramos pela nossa região e pelo país em meio à sangrenta guerra que ceifa vidas de civis todos os dias".

Em declarações à ARA Notícias, em Qamishli, o padre Touni Hannah condenou os ataques e apelou às pessoas para evitar grandes concentrações em lugares públicos, com o objetivo de "evitar a perda de mais inocentes".

"As pessoas estavam fazendo seus preparativos para celebrar o ano novo, mas eles ficaram chocados com os ataques brutais que mataram e feriram dezenas de civis", disse Hannah.

"Esperamos que o ano de 2016 traga paz à Síria e à região após anos de derramamento de sangue".

Em um comunicado separado o secretário-geral da Aliança Universal Assíria, baseada nos Estados Unidos, também condenou os ataques e apelou para que o ataque contra os cristãos no Iraque e na Síria seja reconhecido como genocídio. Yonathan BetKolia disse: "Estes ataques covardes são dirigidos ao desenraizamento de assírios de suas terras ancestrais. O fracasso absoluto das forças não-cristãs em controle da área para evitar tais ataques desumanos contra pessoas inocentes não só é inaceitável, mas imperdoável".

"De tempos em tempos, temos assistido ao fracasso total das forças armadas regionais em fornecer a segurança necessária para os cristãos na região. Os assírios exigem que eles imediatamente sejam treinados e equipados para assumir o controle sobre sua própria segurança e o de destino da região".

veja também