Estado Islâmico assume autoria de ataques terroristas contra duas igrejas do Egito

Além de uma bomba ter matado dezenas de pessoas em uma igreja copta de Tanta (Delta do Nilo), um terrorista suicida também se explodiu em frente a outro templo de Alexandria.

fonte: Guiame, com informações do 'The Guardian'

Atualizado: Domingo, 9 Abril de 2017 as 11:38

Atentado na igreja copta de Tanta deixou pelo menos 26 mortos e 50 feridos. (Foto: Khaled Elfiqi/EPA)
Atentado na igreja copta de Tanta deixou pelo menos 26 mortos e 50 feridos. (Foto: Khaled Elfiqi/EPA)

O Estado Islâmico reivindicou a responsabilidade pelo ataque terrorista contra duas igrejas coptas no Egito, neste domingo (9). O número de mortos nos dois atentados já ultrapassou a marca de 30, além dos mais de 100 feridos.

Além de uma bomba ter explodido em uma igreja copta em Tanta (Delta do Nilo), matando pelo menos 26 pessoas e ferindo mais de 50, um suicida matou pelo menos seis pessoas e feriu 66, ao se explodir em frente a uma igreja em Alexandria.

"Um grupo que pertence ao Estado islâmico realizou os dois ataques às igrejas nas cidades de Tanta e Alexandria", disse a Amaq, agência de notícias do grupo terrorista.

Na manhã deste domingo, a igreja copta estava celebrando o 'Domingo de Ramos'.

Os atentados foram os últimos de uma série de ataques contra a minoria cristã do Egito, que representam cerca de 10% da população e têm sido alvo de investidas em série dos extremistas islâmicos.

A TV da CBC mostrou imagens de dentro da igreja na cidade de Tanta, no delta do Nilo, onde um grande número de pessoas se reunia em torno de corpos, que pareciam inanimados e cobertos de papéis.


Atentados anteriores a igrejas coptas
Uma filial do Estado Islâmico também já havia reivindicado a responsabilidade por um atentado suicida em uma igreja no Cairo, em dezembro de 2016, que matou cerca de 30 pessoas, na maioria mulheres, além de uma série de assassinatos na península do Sinai, que levaram centenas de cristãos a fugirem para áreas mais seguras do país.

Os cristãos coptas também enfrentam ataques regulares de vizinhos muçulmanos, que queimam suas casas e igrejas em áreas rurais pobres, geralmente enfurecidos por causa de um romance inter-religioso ou pela construção de uma igreja.

veja também