Estado Islâmico destrói mosteiro mais antigo do Iraque

O mosteiro tornou-se um símbolo do cristianismo na região por mais de 1.400 anos. Muitas pessoas lamentaram a destruição do local e relembraram bons momentos que tiveram em visita à igreja.

fonte: Guiame, com informações do Huffington Post

Atualizado: Quinta-feira, 21 Janeiro de 2016 as 10:44

O Estado Islâmico destruiu Mosteiro de Santo Elias de Mosul - o mais antigo mosteiro cristão no Iraque.

O mosteiro tornou-se um símbolo do cristianismo na região por mais de 1.400 anos, de acordo com o site 'HuffPost Religion'.

Fotos do local destruído foram captadas por um satélite e revelam que o mosteiro foi destruído, provavelmente, entre 27 de agosto e 28 de setembro de 2014, mas só foram reveladas recentemente.

Muitas pessoas lamentaram a destruição do local e relembraram bons momentos que tiveram em visita ao mosteiro.

"Eu não posso descrever minha tristeza", disse o Rev. Paul Thabit Habib, que está no exilado em Erbil, no Iraque. "Nossa história cristã em Mosul está sendo barbaramente ameaçada. Vemos isso como uma tentativa de nos expulsar do Iraque, eliminando a nossa existência nesta terra".

"Uma grande parte da história tangível foi destruída", disse o Rev. Manuel Yousif Boji, um líder católico caldeu em Southfield, Michigan, que se lembra de ter ido a uma missa na igreja de Santo Elias, quase 60 anos atrás, enquanto esteve no seminário, em Mosul.

"Estas perseguições têm acontecido à nossa Igreja mais de uma vez, mas acreditamos no poder da verdade, o poder de Deus", Boji acrescentou.

Notícias da destruição do Estado Islâmico do Mosteiro St. Elias segue a notícia de sua continuação da violência e destruição na região.

Segundo relatos, após a invasão dos EUA ao Iraque, em 2003, a população cristã local caiu drasticamente de 1,3 milhões apenas 300.000 mil.

Muitos também têm alertado que o cristianismo está correndo perigo de ser extinto da região e pediram a intervenção do Ocidente.

veja também