Estado Islâmico divulga vídeo com mais decapitações e anuncia ataques ao Reino Unido

As agências de segurança e inteligência da Grã-Bretanha estão examinando o novo vídeo de 10 minutos, que mostra o assassinato de cinco homens que foram acusados ​​pelos militantes islâmicos de trabalhar como espiões para o Reino Unido.

fonte: Guiame, com informações do Christian Post

Atualizado: Segunda-feira, 4 Janeiro de 2016 as 12:58

Um novo vídeo divulgado pelo Estado Islâmico mostra um homem e jovem garoto com sotaque britânico liderando a decapitação de cinco supostos espiões britânicos, além de alertar sobre novos ataques.

Analistas de mídia têm sugerido que o homem mascarado com o sotaque britânico está tomando o posto do conhecido carrasco 'Jihadi John' - que foi destaque em vários vídeos da execução do grupo terrorista durante todo o ano de 2015.

A BBC News informou que as agências de segurança e inteligência da Grã-Bretanha estão examinando o novo vídeo de 10 minutos, que mostra o assassinato de cinco homens que foram acusados ​​pelos militantes islâmicos de trabalhar como espiões para o Reino Unido.

"Vamos continuar a jihad, quebrar fronteiras e um dia invadir o seu território, onde vamos governar pela Shariah", disse o militante mascarado no novo vídeo.

O correspondente da BBC, Frank Gardner observou que o EI lançou uma série de vídeos, mostrando as execuções de homens que foram acusados de espionagem.

"O Estado Islâmico é absolutamente paranóico com relação a isso [informantes]", disse Gardner.

"Eles estão olhando por cima dos ombros, querendo saber onde o próximo ataque enfurecido pode acontecer e eles estão se perguntando quem no meio deles é informante e poderia estar colhendo informações sobre eles".

Gordon Corera, outro correspondente de segurança da BBC, sugeriu que o porta-voz no vídeo está tentando tomar o lugar do cidadão britânico Mohammed Emwazi, também conhecido como 'Jihadi John', que acredita-se que tenha sido morto na Síria por um ataque aéreo em novembro.

"Este último vídeo publicado pelo EI parece mostrar um outro homem que tenta assumir o seu lugar", escreveu Corera.

"A identidade do homem mascarado é até agora desconhecida, mas as autoridades vão tentar identificá-lo e confirmar se ele é britânico".

O Daily Mail também observou que o militante mascarado no vídeo de decapitação mais recente "tinha uma semelhança assombrosa com o antigo carrasco do EI, 'Jihadi John".

O carrasco do Estado Islâmico é um grande crítico do primeiro-ministro britânico David Cameron durante todo o vídeo e acusa-o de ser um "escravo da Casa Branca" e do governo dos Estados Unidos.

"Como é estranho que o líder de uma pequena ilha nos ameace com um punhado de aviões. Alguns teriam pensado que você aprendeu as lições de seu mestre patético em Washington e sua campanha fracassada contra Estado Islâmico", disse o carrasco.

"Você vai perder esta guerra, como você perdeu no Iraque e no Afeganistão. Mas desta vez, quando você perder, seus filhos vão pagar por seus atos. Lembre-se disso: você e os tolos que pensaram que poderiam lutar contra o Estado islâmico", acrescenta.

O Reino Unido apoiou fortemente os EUA nas operações de ataques aéreos contra alvos terroristas em curso na Síria, buscando deter o avanço do EI. Em novembro, o líder britânico disse que o assassinato de Jihadi John se justificava devido a seus crimes horríveis.

"Emwazi é um assassino bárbaro. Ele foi mostrado nos vídeos repugnantes da decapitação de trabalhadores humanitários britânicos. Ele representava uma ameaça permanente e grave para civis inocentes, não só na Síria, mas em todo o mundo e no Reino Unido também", disse Cameron na época.

"Ele era carrasco líder do EI e nunca nos esqueçamos de que ele matou muitos, muitos muçulmanos também. E ele tinha a intenção de matar muito mais pessoas", acrescentou.

veja também