Estado Islâmico lança pesquisa online, perguntando 'qual nação será o próximo alvo'

A pesquisa foi lançada com a pergunta: "Qual será a cor da Torre Eiffel nos próximos ataques?". Após os ataques terroristas em Bruxelas, o conhecido ponto turístico foi iluminado com as cores da bandeira belga.

fonte: Guiame, com informações do Christian Post

Atualizado: Terça-feira, 29 Março de 2016 as 8:58

Militantes do Estado Islâmico desfilam nas ruas de Raqqa, na Síria (Foto: AP)
Militantes do Estado Islâmico desfilam nas ruas de Raqqa, na Síria (Foto: AP)

O Estado Islâmico e os seus apoiadores postaram uma pesquisa online na semana passada, perguntando qual nação o grupo terrorista deveria atacar na próxima vez.

A pesquisa foi lançada com a pergunta: "Qual será a cor da Torre Eiffel nos próximos ataques?", de acordo com o Daily Mail.

"A pergunta vem depois de que a estrutura francesa icônica foi iluminada com as cores da bandeira belga, em solidariedade às vítimas dos ataques de Bruxelas", segundo o Daily Mail informou na semana passada.

"O Reino Unido saiu no topo da pesquisa para o próximo alvo do Estado Islâmico, com metade dos seus apoiadores no fórum marcando a nação como sua primeira escolha para um ataque terrorista"

O Daily Mail observou ainda que esta não foi a primeira vez que o grupo terrorista usou as redes sociais para pesquisas partidárias sobre a violência terrível que planeja para executar contra seus prisioneiros e pessoas inocentes.

"Após a captura do piloto jordaniano Muath al-Kaseasbeh, vários ativistas de mídia do Estado Islâmico criaram uma hashtag em árabe para obter sugestões sobre como matar um prisioneiro", continuou o Daily Mail.

A hashtag '#SuggestAWayToKillTheJordanianPilotPig' - que diz em inglês 'Sugira uma Forma de Matar o Piloto Jordaniano Porco' - atraiu dezenas de idéias terríveis para o assassinato do piloto da Jordânia, que foi capturado depois que seu avião foi abatido sobre o território do EI, em 24 de dezembro de 2014.

Na semana passada, terroristas suicidas atingiram o Aeroporto de Zaventem, em Bruxelas, e a estação de metrô Maalbeek, matando 35 pessoas e ferindo mais de 300.

De acordo com a BBC, os ataques em Bruxelas vieram logo após a prisão de Salah Abdeslam, considerado o principal suspeito dos ataques terroristas que atingiram Paris em novembro do ano passado, que resultou em mais de 130 mortes.

"Se isto foi uma 'vingança' pela prisão de Salah Abdeslam na sexta-feira, pode ser também uma fonte de preocupação considerável de que uma rede terrorista ativa foi capaz de responder de forma rápida e com um efeito tão devastador", escreveu Chris Morris, da BBC, na semana passada.

A notícia da pesquisa lançada online pelo Estado Islâmico surge em um contexto no qual as forças governamentais sírias recapturaram a cidade de Palmyra do domínio do grupo terrorista.

"A recaptura de Palmyra por forças do governo sírio no domingo marcou uma importante vitória sobre os caças do Estado Islâmico, que tinha empreendido um reinado de 10 meses de terror naquela região", informou a CBS News.

"Isto também marcou a primeira grande derrota do grupo extremista desde que um acordo internacional para combater o terrorismo na nação fraturada entrou em vigor no ano passado".

veja também