Estado Islâmico reivindica autoria de ataque em metrô da Alemanha

O adolescente teria gritado "Allahu akbar" ("Alá é grande"), enquanto atacava pessoas com um machado e uma faca, perto da cidade bávara de Wuerzburg. Uma bandeira do Estado Islâmico também foi encontrada no quarto do rapaz.

fonte: Guiame, com informações da Fox News

Atualizado: Terça-feira, 19 Julho de 2016 as 11:22

A agência de notícias DPA informou que entre as quatro pessoas - membros da mesma família - que o jovem feriu, estavam o pai de 62 anos, a mãe de 58, a filha adulta e seu namorado. O filho adolescente não foi ferido. (Foto: AP)
A agência de notícias DPA informou que entre as quatro pessoas - membros da mesma família - que o jovem feriu, estavam o pai de 62 anos, a mãe de 58, a filha adulta e seu namorado. O filho adolescente não foi ferido. (Foto: AP)

O Estado Islâmico reivindicou nesta terça-feira, a responsabilidade por um ataque que fez uso de um machado e uma faca em um metrô alemão, que deixou pelo menos cinco pessoas feridas. O jovem afegão - autor ataque - de 17 anos de idade fugiu do local do crime a acabou sendo morto a tiros pela polícia.

Apesar da declaração do grupo terrorista, autoridades alemãs disseram que aparentemente o jovem - que era requerente de asilo no país - parece ter "se radicalizado por conta própria" e não tinha ligação direta com os extremistas islâmicos.

O adolescente teria gritado "Allahu akbar" ("Alá é grande"), enquanto atacava pessoas na estação regional, perto da cidade bávara de Wuerzburg, na última segunda (18) à noite. Uma bandeira do Estado Islâmico, pintada à mão, foi encontrada durante uma busca de seu quarto, de acordo com o ministro do Interior do Estado, Joachim Herrmann.

Embora o grupo Estado Islâmico tenha reivindicado a responsabilidade do ataque, por meio de sua agência de notícias Aamaq, Herrmann disse que o suspeito, cuja identidade não foi divulgada, havia escrito notas em seu 'pashto' (idioma ancestral) nativo, que indicavam que ele pode ter sido auto-radicalizado e não havia "nenhuma indicação" que ele estaria diretamente ligado ao grupo terrorista.

Herrmann informou que as pessoas próximas ao atacante disseram aos investigadores que ele parecia uma pessoa calma, não abertamente religioso ou extremista.

Herrmann disse que os investigadores ainda estavam procurando informações nas evidências encontradas no quarto do adolescente, dizendo que possivelmente, as notas incluíam uma carta de despedida a seu pai.

Estado Islâmico tem sido o responsável pelo genocídio de cristãos e outras minorias religiosas no Oriente Médio. (Foto: Reuters)

"Há indícios de que ele - em um texto - teria escrito sobre as vidas dos muçulmanos, mas também disse que os muçulmanos deviam tomar medidas por conta própria e resistir agora", disse Herrmann.

Herrmann disse que "era muito cedo para tirar conclusões sobre a motivação do autor do crime".

As autoridades alemãs não identificaram as vítimas, mas o departamento de imigração de Hong Kong disse que entre os feridos no ataque, estariam quatro membros de uma família de cinco pessoas do sul da China.

O alto funcionário de Hong Kong e Chefe do Executivo, Leung Chun-Ying, condenou o ataque e estendeu suas condolências às vítimas e suas famílias.

A agência de notícias DPA informou que entre as quatro pessoas - membros da mesma família - que o jovem feriu, estavam o pai de 62 anos, a mãe de 58, a filha adulta e seu namorado. O filho adolescente não foi ferido. O pai e o namorado foram feridos ao tentar defender os outros membros da família.

O prefeito de Wuerzburg, Christian Schuchardt condenou o ataque e acrescentou que seus pensamentos estavam com as vítimas e outros passageiros "que sofreram lesões graves em seus corpos e almas por este ato de loucura".

"Estou chocado com este ato horrível de violência", disse.

O autor do ataque chegou à Alemanha há mais de um ano, como um menor não acompanhado, foi registado pela primeira vez pelas autoridades alemãs na cidade de Passau, que faz fronteira entre a Alemanha e a Áustria.

O rapaz pediu asilo em março do ano passado. Ele morava em uma casa para jovens refugiados, em Ochsenfurt, perto de Wuerzburg até duas semanas atrás, quando ele passou a morar com uma família de acolhimento na mesma cidade, informou Herrmann.

Os investigadores fizeram contato com a família de acolhimento, testemunhas e os amigos do jovem afegão.


Genocídio

Além dos ataques chocantes em países da Europa (França, Bélgica e Turquia) e nos Estados Unidos, o Estado Islâmico tem sido o responsável pelo genocídio de cristãos e outras minorias religiosas no Oriente Médio. Os parlamentos da Europa e dos EUA já reconheceram este caráter nas ações do grupo terrorista.

O Estado Islâmico tem feito uso do comércio de escravas sexuais - muitas delas, ainda meninas, a partir de 7 anos de idade - e também registra as execuções daqueles que considera infiéis, com vídeos e fotos que são posteriormente publicadas na internet.

 

veja também