EUA rejeita resolução que pede "misericórdia de Deus" pelo casamento gay

A resolução, em seu texto original, pede a Deus para poupar a região do que alguns acreditam que possa ser um julgamento divino sobre a América por corromper o conceito de família ao legalizar o casamento gay.

fonte: Guiame, com informações de Christian Today

Atualizado: Sexta-feira, 9 Outubro de 2015 as 12:15

Cerca de 100 ativistas aguardaram a decisão do lado de fora do prédio. (Foto: Reuters/ Jonathan Ernst)
Cerca de 100 ativistas aguardaram a decisão do lado de fora do prédio. (Foto: Reuters/ Jonathan Ernst)

Com 10 votos contra 5, uma comissão parlamentar no estado norte-americano do Tennessee rejeitou a resolução que busca a "misericórdia de Deus" sobre a América por corromper o conceito de família ao legalizar o casamento gay.

Em um processo assistido por uma multidão de ativistas do homossexualismo, a Comissão do Condado de Blount negou a resolução apresentada pela comissária Karen Miller com a maioria dos votos, de acordo com o Reuters.

Os membros da comissão sequer realizaram um debate, e rapidamente encerraram a reunião após a votação.

Após a sessão, Miller disse à imprensa que ficou surpresa com o resultado da votação e as medidas tomadas por seus colegas. "Eu fiquei totalmente no escuro", disse ela, acrescentando que estava "muito desapontada, porque as pessoas têm o direito de falar."

Membros do Projeto de Igualdade do Tennessee, um grupo que defende os direitos gays, lotaram a sala de reuniões da comissão do condado. Cerca de 100 ativistas aguardaram a decisão do lado de fora do prédio. Eles fizeram protestos durante todo o dia, convidando os membros da comissão a rejeitar a resolução.

Ashley Abbott, uma das ativistas, disse que a autora da resolução não deveria ter mencionado Deus ou implorado Sua misericórdia, já que "a religião não tem lugar no governo."

No entanto, Khristrine Weick, uma das únicas manifestantes anti-gay, que corajosamente desafiou a multidão de ativistas no exterior do edifício, disse era totalmente de acordo com a resolução de Miller. "Eu acredito que se continuarmos a cuspir na face de Deus, receberemos isso também", disse ela.

A resolução

A resolução, em seu texto original, pede a Deus para poupar a região do que alguns acreditam que possa ser um julgamento divino.

"Com uma firme confiança na providência do Deus Todo-Poderoso, nós do Legislativo do Condado de Blount convocamos todos os oficiais do estado de Tennessee, o governador, o procurador-geral e membros Legislativo do Tennessee, para se juntarem a nós e utilizar de suas autoridades para proteger o casamento tradicional dos ataques de opiniões judiciais sem lei e dos sistemas financeiros dos inimigos da justiça, para defender os padrões morais de Tennessee", diz parte o texto da resolução, de acordo com a Fox 35.

"Adotamos esta resolução diante de Deus, para que ele Ele passe de nós Sua ira vindoura e não destrua nosso município como fez com Sodoma e Gomorra e as cidades vizinhas", diz outra parte do texto.

A resolução também acusa o judiciário federal de ser não ter base jurídica em sua decisão e insiste em que os juízes federais usaram de um "poder não delegado a eles", desprezando os direitos dos Estados e legalizando o casamento gay em todo o país.

veja também